Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

domingo, 28 de julho de 2019

Estudo revela que poucos fiéis evangélicos leem a Bíblia diariamente

Os cristãos dizem que a Bíblia é a Palavra de Deus, mas mesmo entre os fiéis protestantes, apenas um terço dedica um tempo para leitura diária. Essa constatação foi feita em um estudo realizado este ano.
O instituto Lifeway Research de Nashville realizou a edição 2019 do estudo “Discipleship Pathway Assessment” e descobriu que aqueles que frequentam regularmente igrejas protestantes são inconsistentes em ler e pensar sobre as Escrituras.

O estudo identifica o engajamento da Bíblia como um dos oito sinais que aparecem consistentemente nas vidas dos cristãos em crescimento. “Esta pesquisa perguntou aos frequentadores da igreja sobre muitas características bíblicas para ver quais ações, crenças e desejos estão presentes na vida dos seguidores de Cristo”, disse Scott McConnell, diretor executivo da LifeWay Research. “Entre eles, a leitura da Bíblia foi uma das mais preditivas da maturidade espiritual”.

Leitura regular da Bíblia
Um terço dos entrevistados que frequentam uma igreja protestante regularmente (32%) diz que lê a Bíblia pessoalmente todos os dias. Cerca de um quarto (27%) diz que lê algumas vezes por semana.
Poucos dizem que só leem uma vez por semana (12%), algumas vezes por mês (11%) ou uma vez por mês (5%). Perto de 1 a cada 8 (12%) admitem que raramente ou nunca leem a Bíblia.

O mesmo estudo, realizado em 2016 pela LifeWay Research descobriu que 1 em cada 5 cristãos americanos disseram ter lido toda a Bíblia pelo menos uma vez. No entanto, mais da metade disse que leu pouco ou nada disso.

No último estudo, frequentadores da igreja com idades entre 50 e 64 anos têm maior probabilidade de dizerem que leem a Bíblia todos os dias (35%) do que os adultos com menos de 50 anos (30%).
Os frequentadores da igreja no oeste dos EUA (37%) são mais propensos a serem leitores da Bíblia todos os dias do que aqueles no Centro-Oeste (31%) ou no Sul (31%).

Os hispânicos são a etnia mais propensa a dizer que leem as Escrituras todos os dias (40%). Aqueles que frequentam a igreja quatro vezes por mês ou mais (34%) são mais propensos a ler todos os dias do que aqueles que frequentam com menos frequência (27%).

Protestantes pentecostais (36%) e protestantes negros (30%) também são mais propensos do que os protestantes tradicionais (20%) a dizerem que leem as Escrituras todos os dias.

“A oração de Jesus por Seus seguidores era que eles seriam santificados pela verdade da Palavra de Deus”, disse McConnell. “Não é de surpreender que as vidas daqueles que passam o tempo lendo a Bíblia se pareçam mais com Cristo”, acrescentou o executivo.

Impacto da leitura regular da Bíblia
Em um estudo de 2016 sobre pais protestantes que frequentavam igrejas, a LifeWay Research descobriu que a leitura regular da Bíblia, quando criança, era o maior fator na indicação de saúde espiritual de adultos jovens. A última pesquisa descobriu que a leitura da Bíblia na vida adulta tem efeitos de longo alcance semelhantes.

A LifeWay Research perguntou aos fiéis se eles pensam sobre as verdades bíblicas ao longo do dia, se dedicam tempo com Deus e se passam vários dias sem ler a Bíblia. As respostas a essas perguntas estão intimamente ligadas à regularidade com que os frequentadores da igreja leem a Bíblia.

Quando perguntados se estão pensando em verdades bíblicas ao longo do dia, 32% dos fiéis protestantes concordaram fortemente. No total, quase 7 em 10 pelo menos concordaram um pouco (69%). 12% discordaram e 20% não têm certeza. As mulheres (33%) são mais propensas que os homens (29%) a concordarem fortemente com essa afirmação.

Os frequentadores de igrejas com 65 anos ou mais (27%) têm a idade demográfica menos propensa a concordar fortemente, enquanto os hispânicos (52%) são a etnia com maior probabilidade de concordar fortemente.

Protestantes pentecostais (35%) e protestantes negros (33%) são mais propensos do que os protestantes tradicionais (18%) a concordar fortemente.

Entre os fiéis protestantes que dizem ler a Bíblia todos os dias, 51% dizem que pensam em verdades bíblicas durante o dia.

Para aqueles que leem a Bíblia algumas vezes por semana, 32% dizem o mesmo. Isso cai para 20% dentre os que fazem uma leitura das Escrituras uma vez por semana a algumas vezes por mês, e 9% daqueles que leem uma vez por mês ou menos.

“Este é um caso em que a ação de ler a Bíblia influencia os pensamentos de alguém”, disse McConnell. “Essa atenção plena nas verdades de Deus tem benefícios adicionais de influenciar outras ações e discursos”.

Um terço dos fiéis protestantes (33%) concorda fortemente que eles dedicam tempo com Deus se passarem vários dias sem ler a Bíblia. Quase 3 em 5, pelo menos, concordam um pouco (58%). Cerca de 1 em cada 5 discorda (20%) e 22% não concorda nem discorda.

As mulheres (36%) são mais propensas a concordar fortemente do que os homens (30%). Os fiéis hispânicos (44%) são mais propensos a concordar fortemente do que afro-americanos (36%) e fiéis brancos (31%).
 
Aqueles com 65 anos ou mais são o grupo etário menos provável a concordar fortemente em perder o tempo com Deus quando passam vários dias sem ler a Bíblia (27%). Protestantes pentecostais (38%) e protestantes negros (33%) são mais propensos a concordar fortemente do que os protestantes tradicionais (19%).

Quanto mais regular o hábito de leitura da Bíblia, mais provável é que os frequentadores da igreja digam que sentem falta desse tempo com Deus. Entre os fiéis protestantes que leem a Bíblia todos os dias, 65% concordam fortemente. Esse número é cortado pela metade entre aqueles que lêem as Escrituras algumas vezes por semana (32%). Ele continua a diminuir entre aqueles que lêem uma vez por semana ou algumas vezes por mês (13%) e entre aqueles que lêem uma vez por mês ou menos (6%).

“Uma indicação de que ler a Palavra de Deus é benéfica é o quanto os leitores sentem falta depois de não ler por alguns dias”, disse McConnell. “Isso se encaixa com a própria descrição da Bíblia de si mesmo como sendo ‘vivo e eficaz’”, enfatizou o responsável pelo estudo, de acordo com informações da LifeWay Research.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário