Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

  • Futuro Sorriso!

    Simião Célio posta vídeo para música Futuro Sorriso no YouTube

  • Reportando!

    6ª edição do AGORA SOMOS UM

  • Entrevista com Wallas Silva

    "Lutador de Muay Thai""

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Celso de Mello manda PF ouvir Moro em 5 dias sobre acusações a Bolsonaro

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello decidiu na noite desta quinta-feira (30/04) que a Polícia Federal tem cinco dias para tomar o depoimento do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro e colher eventuais provas das acusações feitas pelo ex-juiz contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Antes, o prazo dado pela Corte era de 60 dias

“Considerando as razões de urgência nela invocadas pelos Senhores congressistas, determino, não obstante os autos estejam na douta Procuradoria-Geral da República, seja intimado, desde logo, para inquirição, o Senhor Sérgio Fernando Moro, em ordem a que possa apresentar ‘(…) manifestação detalhada sobre os termos do pronunciamento, com a exibição de documentação idônea que eventualmente possua acerca dos eventos em questão‘”, escreveu Mello. Metropoles

Impeachment de governador do Amazonas é aberto na Assembleia

MANAUS – O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam)Josué Neto (PRTB), aprovou nesta quinta-feira, 30, a abertura do processo de impeachment do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e do vice-governador, Carlos Almeida (PTB).
Com o sistema de saúde colapsado devido à covid-19, o Amazonas pode ser o primeiro Estado do País a ter um governador afastado do cargo durante a pandemia mundial.
O governador Wilson Lima se pronunciou sobre o pedido, por meio de nota, afirmando que o momento é “inoportuno” e que a decisão “está contaminada por questões eleitorais”.

O documento foi protocolado na Aleam pelo Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) na última terça-feira (21). O presidente da entidade, Dr. Mário Viana, afirmou que o pedido estava baseado na “negligência e omissão do Estado” em relação à saúde, incluindo a responsabilidade pelas mortes de cidadãos e profissionais que atuam no combate ao novo coronavírus.

Durante a sessão on-line, o presidente da Assembleia, Josué Neto, ressaltou que a sua decisão era imparcial, sem o intuito de favorecer ou desfavorecer alguém politicamente, e que engavetar esse pedido de afastamento do governador seria “suspeito, antidemocrático e imparcial”. O parlamentar também destacou que a abertura do processo não significa que será aprovado, visto que a decisão final cabe aos demais deputados e à sociedade amazonense. 

Por meio de nota, Wilson Lima destacou que a pauta está distante dos reais problemas do Amazonas e que a população precisa de todas as esferas do Estado atuantes.

“Uma decisão solitária do presidente da Assembleia que não contribui em nada para vencermos essa guerra de todos os amazonenses contra a pandemia. O inimigo é um só. Nunca foi tão importante unir forças. É isso que a sociedade nos cobra. Enquanto pessoas morrem e o mundo se comove com a pandemia no Amazonas, o presidente da Assembleia não pode apresentar esse tipo de proposta para debatermos”, disse.

Por meio de nota, Wilson Lima destacou que a pauta está distante dos reais problemas do Amazonas e que a população precisa de todas as esferas do Estado atuantes.

“Uma decisão solitária do presidente da Assembleia que não contribui em nada para vencermos essa guerra de todos os amazonenses contra a pandemia. O inimigo é um só. Nunca foi tão importante unir forças. É isso que a sociedade nos cobra. Enquanto pessoas morrem e o mundo se comove com a pandemia no Amazonas, o presidente da Assembleia não pode apresentar esse tipo de proposta para debatermos”, disse.
Com informações Terra

Criança tem ‘sonho profético’ com o coronavírus: “Um Leão e um Cordeiro o esmagavam”

Um homem que mora nos EUA revelou a um site de notícias local que seu filho de apenas 7 anos sonhou, nos quais descreve uma luta entre o coronavírus e Deus. Segundo menino, o Senhor se aparecia com um Leão e um Cordeiro ao mesmo tempo. Já a doença foi caracterizada por uma ‘planta verde com uma coroa em sua cabeça‘.

O homem que se chama Dehavilland, conta que ele estava dando aula online e ouviu o seu filho dizer para a sua esposa que o coronavírus terminaria em 30 de abril. Logo, Dehavilland perguntou ao menino o que fez ele pensar naquela data, ele respondeu que Deus lhe havia dito em sonhos durante sete dias seguidos.

Dehavilland disse que quando terminou a aula, ele e sua esposa pediram ao filho que explicasse como ele havia escutado aquilo de Deus e o garoto respondeu:

– Bem, Deus me deu um sonho ontem à noite. No sonho, eu vi uma enorme planta verde que tinha uma coroa em sua cabeça e estava apertando o mundo. Quanto mais apertava o mundo, mais mãos ou tentáculos, crescia. Do nada, um leão que tinha o corpo de um cordeiro apareceu e destruiu a planta e a rasgou em pedaços. Então apareceu uma data no meu sonho: ‘Isso terminará em 30 de abril’. E o sonho acabou –  disse o menino de 7 anos.

O pai disse:

– Eu fiquei encantado. Primeiro de tudo, meu filho não ouviu nenhuma conversa sobre uma data ligada ao fim do coronavírus. Nem minha esposa nem eu conversamos sobre um encontro final. Além disso, meu filho não sabia que corona significa “coroa”. Embora ele não soubesse disso, meu filho associou a planta verde coroada que estava sufocando o mundo a ser o coronavírus – disse o homem.

– Ele não sabia o que pensar sobre o leão e o cordeiro que destruiu a planta, mas eu o interpreto como a representação de Jesus, o Leão da Tribo de Judá, que também é o Cordeiro de Deus que passa por cima de nós e limpa-nos dos nossos pecados”, explica o homem, lembrando que foi o sangue do cordeiro que interrompeu a praga do Egito contra os judeus. Ele acredita que “o sangue está em guerra por nós agora de maneiras que provavelmente não podemos imaginar –  disse ele.

Sobre a data vista pelo filho no sonho, o homem disse que “adoraria que isso significasse que a pandemia do coronavírus terminaria subitamente em 30 de abril, mas que pode significar o início do fim dessa praga”.

– Agora, eu adoraria que isso significasse que a pandemia do coronavírus terminaria subitamente em 30 de abril, mas poderia significar o início do fim dessa praga. Ou também pode significar que algo significativo acontecerá em 30 de abril, conectado aos tentáculos demoníacos e semelhantes às heras do coronavírus. Tudo o que sei é que estou lutando pelo sonho do meu filho se manifestar. Estou em jejum até 30 de abril e estou orando por esse sonho – disse ele.

O homem disse que logo tratou de compartilhar com amigos e segundo ele, outras famílias relataram que os seus respectivos filhos também estão tendo visões em seus sonhos sobre Deus anunciando o fim da pandemia da Covid-19.

– E se todos nós chamássemos nossos filhos para orar pelo fim dessa pestilência? Vamos implantar a geração mais jovem para orar pelo fim da crise do coronavírus! Recentemente me disseram que estavam rezando crianças que alimentavam os avivamentos dos Grandes Despertares. Creio que Deus está usando seus filhos como arma secreta não apenas para orar contra o coronavírus, mas também para orar em outro Grande Despertar – disse ele.

Os últimos três sonhos

O homem contou ainda ao site de notícias Charisma News, detalhes dos últimos três sonhos revelados pelo filho:
– No total, ele teve sete sonhos de 14 a 20 de abril em relação ao coronavírus que termina em 30 de abril – disse ele.

O homem revelou que nas três últimas noites, o garoto continuou a ter novos sonhos sobre o coronavírus. Segundo o garoto, ele percebeu que em cada sonho, a planta verde coroada, que ele entendia ser o coronavírus, se tornou menor nos sonhos nos dois últimos sonhos.

– Ouvi: ‘Reze, reze, reze!’ as nuvens se separaram e eu vi a planta verde com a coroa, mas era muito menor, estava tentando espremer a terra, mas não conseguia porque suas mãos e braços não cresciam. Então o Leão / Cordeiro a destruiu novamente e rasgou-o em pedaços como nos outros sonhos. E, novamente, vi no final do sonho: ‘Isso terminará em 30 de abril’ – disse o garotinho ao pai.
Ele ainda contou como foi o último sonho, segundo as palavras do filho:

– Vi nuvens se separaram e vejo a planta verde coroada, e é menor do que em todos os outros sonhos. E pela primeira vez em todos os sonhos, a terra era maior que a planta verde coroada.Então, o Leão / Cordeiro aparece, mas, em vez de rasgar a planta verde em pedaços, como nos outros sonhos, ele a jogou em um poço. Eu vi ’30 de abril’. Então o sonho terminou – disse o menino.

Segundo homem, ele e esposa ficaram encantados com essa série de sonhos. Ele contou também que o garoto  normalmente sonha uma ou duas vezes por mês e ele nunca teve sonhos consecutivos, muito menos uma série de sonhos.

– Além disso, meu filho não sabia que “coroa” significa “coroa”. Embora ele não soubesse disso, meu filho associou a planta verde coroada que estava sufocando o mundo a ser o coronavírus. Curiosamente, ele não sabia o que fazer com o meio leão e meio cordeiro que destruiu a planta, mas nós a interpretamos para representar Jesus, o leão da tribo de Judá (Ap 5: 5), que também é o Cordeiro de Deus que passa sobre nós e nos limpa de nossos pecados (Êx 12:13). Foi o sangue do cordeiro que interrompeu a praga do Egito contra os judeus, e o Sangue de Jesus está em guerra por nós agora de maneiras que provavelmente não podemos imaginar – disse o homem Charisma News.
 JM

Perto de colapso em UTIs para coronavírus, juiz determina 'lockdown' no MA

O juiz Douglas Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís, determinou na noite de hoje que o governo decreto "lockdown" (fechamento completo) nas cidades da Ilha de São Luís a partir de 5 de maio, por ao menos 10 dias. Entre as medidas definidas está a proibição de circulação de veículos particulares e suspensão de todo tipo de comércio não essencial.

A medida foi tomada por conta do aumento na contaminação de covid-19 e da alta ocupação hospitalar de pacientes com o novo coronavírus. Até agora o estado registra 3.190 casos confirmados e 184 óbitos.

Na noite da terça-feira, São Luís chegou a ter 100% de ocupação dos leitos de UTI (unidade de terapia intensiva), mas a abertura de 27 leitos no dia seguinte desafogou um pouco a pressão sobre os hospitais.

Na decisão de hoje, o juiz acolheu um pedido feito pelo MP-MA (Ministério Público do Maranhão) e decretou o lockdown levando em conta que "o mais importante no momento é assegurar a saúde da coletividade, utilizando-se dos meios necessários para evitar a proliferação da doença, mesmo que isso signifique privar momentaneamente o cidadão de usufruir, em sua plenitude, certas prerrogativas individuais."

As medidas determinadas na decisão foram:

  • - Suspensão expressa de todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde
  • - Limitação adequada das reuniões de pessoas em espaços públicos ou abertos ao público;
  • - Regulamentação do funcionamento dos serviços públicos e atividades essenciais, tais como bancos e lotéricas, exclusivamente para pagamento de renda básica emergencial, salários e benefícios sociais;
  • - Vedação de circulação de veículos particulares, salvo para compra de alimentos ou medicamentos, transporte de pessoas para atendimento de saúde ou atividades de segurança;
  • - Proibição de entrada/saída de veículos da Ilha de São Luís por 10 dias, salvo caminhões, ambulâncias, veículos transportando pessoas para atendimento de saúde, veículos no desempenho de atividades de segurança ou no itinerário de serviços considerados essenciais;
  • - Adoção de medidas de orientação e de sanção administrativa quando houver infração às medidas de restrição social, como o não uso de máscaras em locais de acesso ao público;
  • - Extensão da suspensão das aulas da rede privada nos municípios de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa;

    Fiscalização

    Além disso, o juiz determina que o estado fiscalize de forma "efetiva as medidas de distanciamento social/lockdown, promovendo a responsabilização administrativa, civil e penal dos estabelecimentos que não seguirem as normas sanitárias."

    Aos municípios da ilha de São Luís, a decisão obriga as prefeituras a adotarem publicidade que aborde "de forma mais incisiva a letalidade que resultará do colapso do Sistema de Saúde, em razão do descumprimento das regras de distanciamento social."

    "Muito embora o lockdown possa suscitar dúvidas acerca de sua constitucionalidade, pois importa em restrições à circulação de pessoas, funcionamento de estabelecimentos comerciais e sacrifícios de outros direitos, consigne-se que os direitos fundamentais não são absolutos", alegou o magistrado.

    O UOL procurou o governo do Maranhão para que comente a decisão, mas ainda não obteve resposta. Ontem, o governador Flávio Dino (PCdoB) havia antecipado que iria fazer um decreto mais restritivo, "se aproximando de um lockdown."
    com informações uol

“Não dá para começar liberação com curva em franca ascendência”, diz Teich

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (30/04), o ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou que o aumento no número de mortes é muito triste, e a política não vai mudar, porque “não dá para você começar uma liberação quando você tem uma curva em franca ascendência”, afirmou Teich.

“O distanciamento social permanece como orientação, e vamos estar avaliando cada estado e município, como está evoluindo a curva, os recursos que cada um tem para combater a pandemia”, diz o ministro.

As diretrizes para ajudar os estados e municípios a sair do isolamento estão prontas, segundo o ministro, mas ainda está sendo estudada a maneira de divulgá-las. “Neste momento, ninguém está pensando em flexibilizar nada. Só estamos discutindo as diretrizes que podem ser usadas em algum momento no futuro, quando se tenha a segurança necessária para isso. Se liberarmos e, de alguma forma, puder soar como uma orientação de relaxamento, seria muito ruim”, explica Teich.
 Metropoles

Sergio Moro apresentará provas contra Bolsonaro no STF

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou, em entrevista à revista Veja, afirmou que não vai admitir ser chamado de mentiroso pelo presidente da República, e que apresentará à Justiça as provas que demonstram que o presidente tentou de fato interferir na Polícia Federal. 

“Nunca foi minha intenção ser algoz do presidente”, afirmou o ex-ministro. Sergio Moro também contou que o presidente Bolsonaro não é tão combatente à corrupção como afirma ser. 

“Sinais de que o combate à corrupção não é prioridade do governo foram surgindo no decorrer da gestão (…). Teve esse episódio da demissão do diretor da Polícia Federal sem o meu conhecimento. Foi a gota d’água”, afirmou Moro. 

Ao ser questionado sobre as provas que tem a respeito da interferência de Bolsonaro na polícia federal, Moro afirmou: ” As provas serão apresentadas no momento oportuno, quando a Justiça solicitar”.

O ex-ministro da Justiça afirmou que outros ministros do governo Bolsonaro sabem quem tem a razão nesta história: “Não posso admitir que ele [Bolsonaro] me chame de mentiroso publicamente. Ele sabe quem está falando a verdade. Não só ele. Existem ministros dentro do governo que conhecem toda essa situação e sabem quem está falando a verdade”.

Como de praxe, os bolsonaristas iniciaram um ataque à reputação de Sergio Moro e até mesmo de sua esposa. ” Atacaram minha esposa e estão confeccionando e divulgando dossiês contra ela com informações absolutamente falsas”, relatou Sergio Moro. 

Ainda assim, o ex-juiz da Operação Lava Jato afirma gostar do presidente. ” Pessoalmente, gosto dele. No governo, acho que há vários ministros competentes e técnicos”, contou Moro.  

Apesar do conflito com o presidente Jair Bolsonaro, Sergio Moro não se arrepende de ter abandonado a magistratura para participar do governo. “Embora soubesse que minha ida para o governo seria controversa, o objetivo sempre foi continuar defendendo a bandeira anticorrupção, evitando retrocessos. Não, não me arrependo. Acho que foi a decisão acertada naquele momento. Agradeço ao presidente por ter me acolhido”, relatou o ex-ministro.
 MBL

Justiça rejeita relatório e manda Bolsonaro entregar exames em até 48 horas

O presidente Jair Bolsonaro tem 48 horas para entregar os resultados dos exames de coronavírus aos quais foi submetido. A juíza Ana Lúcia Petri Betto não aceitou os relatórios médicos enviados pela AGU (Advocacia-Geral da União), considerando que eles não atendem de forma integral ao que foi decretado pela Justiça na última segunda-feira (27).

A Justiça Federal de São Paulo mandou o governo entregar os resultados dos testes de Bolsonaro para a covid-19 atendendo a um pedido do jornal O Estado de S. Paulo. Na ocasião, também foi dado um prazo de 48 horas para o cumprimento da decisão.

No entanto, a AGU optou por enviar um relatório médico do dia 18 de março. O documento atestava que Bolsonaro se encontrava "assintomático" e tinha tido resultado negativo para a presença do novo coronavírus no organismo. Esse relatório já tinha sido divulgado pelo UOL em março.

Após a entrega do relatório, o jornal pediu à Justiça uma apuração de descumprimento de ordem judicial. 

Na decisão de hoje, a juíza entendeu que o relatório "não atende, de forma integral, à determinação judicial", mandando que "renove-se a intimação da União" para que "em 48 horas, dê efetivo cumprimento quanto ao decidido, fornecendo os laudos de todos os exames aos quais foi submetido o Exmo. Sr. Presidente da República para a detecção da covid-19, sob pena de fixação de multa de R$ 5.000,00 por dia de omissão injustificada".

Ana Lúcia também indeferiu um pedido do governo para decretar sigilo documental no caso. A juíza considerou os princípios constitucionais do direito de acesso à informação, princípio da publicidade e liberdade de informação jornalística.uol

CONQUISTA | 85 pessoas aguardam resultado laboratorial do Covid-19

Nenhum novo resultado foi divulgado hoje (30) pelo Laboratório Central de Saúde Pública, em Salvador, o que mantém o quadro de 31 casos confirmados no município, sendo que 24 deles evoluíram para cura e 3 para óbito. Enquanto que 4 pacientes continuam em recuperação e aguardam alta – 1 permanece internado e 3 estão em isolamento domiciliar.

15 novos casos notificados com suspeita clínica e epidemiológica de infecção pelo Novo Coronavírus foram registrados nesta quinta-feira (30), chegando ao total de 625 notificações em Vitória da Conquista, até o momento. As informações são do Boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde.

478 casos foram descartados e 116 estão sendo investigados pela Secretaria Municipal de Saúde: 85 deles aguardam resultado laboratorial e 31 aguardam coleta de amostra para serem enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública, em Salvador, que realiza o exame e divulga o resultado.

Dos casos que estão sendo investigados, 8 encontram-se internados e 108 estão em isolamento domiciliar.

Os 3 óbitos de pacientes com casos confirmados foram: um homem de 69 anos que faleceu no dia 13 de abril; um senhor de 76 anos, que faleceu na última quinta-feira, 23 de abril; e uma mulher de 62 anos que faleceu no último domingo, 26 de abril. As três pessoas possuíam comorbidades (quando duas ou mais doenças estão relacionadas).

Os casos confirmados de Covid-19 no município são residentes de 13 bairros: Centro, Campinhos, Brasil, São Vicente, Patagônia, Recreio, Alto Maron, Urbis VI, Boa Vista, Candeias, Primavera, Lagoa das Flores e Sumaré.

Ainda de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, desde o dia 20 de março, a transmissão do novo coronavírus passou a ser considerada comunitária em todo o território nacional, e, por esse motivo, definições operacionais foram discutidas com o objetivo de orientar o serviço de Vigilância na identificação e notificação dos casos de Covid-19. Essas definições são orientadas por meio do Guia de Vigilância Epidemiológica Emergência de Saúde Pública de importância Nacional pela doença da Covid-19 e na Nota Técnica COE Saúde Nº 54 de 8 de abril de 2020, da Secretaria de Saúde do Estado.

A Secretaria Municipal de Saúde reforça a importância de que, neste momento, a população siga as orientações de distanciamento físico e isolamento social, mantendo os cuidados de higiene, evitando aglomerações e, caso apresente sintomas da doença, entre em contato imediatamente com uma Unidade de Saúde ou com o Call Center.

Call Center – A Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza um Call Center para tirar dúvidas da população sobre a Covid-19 e atender pessoas que apresentem febre de início súbito, acompanhada de tosse ou dor de garganta ou dificuldade respiratória, na ausência de outro diagnóstico específico. Além disso, crianças com menos de 2 anos de idade, considera-se também como casos de Síndrome Gripal: febre de início súbito e sintomas respiratórios (tosse, coriza e obstrução nasal), caso também não tenha outro diagnóstico específico.

Contatos:

  • Telefones fixos: (77) 3429-7451/3429-7434/3429-7436
  • Celulares: (77) 98834-9988/98834-9900/98834-9977/98834-9911

Guedes diz que uso político de dinheiro da Saúde é “covardia”

O ministro da Economia Paulo Guedes sugeriu, nesta quinta-feira (30), que governadores e prefeitos poderiam usar o dinheiro do socorro da União a estados e municípios para fazer política, em vez de aplicar os recursos em saúde e no combate ao coronavírus.

As declarações foram feitas durante participação do ministro em reunião virtual da comissão mista do Congresso de acompanhamento das medidas de enfrentamento à pandemia.

Aos senadores e deputados Guedes afirmou que o governo federal já transferiu cerca de R$ 90 bilhões a estados e municípios por meio de projetos já aprovados no Congresso.

O ministro afirmou ainda que, com a proposta que está para ser votada no Senado no sábado (2), o valor subiria para cerca de R$ 130 bilhões, com a contrapartida de que governadores e prefeitos congelem reajustes salariais a servidores.

Guedes defendeu a proposta.

– Por isso que não pode ter aumento de salário, nenhum outro uso desses recursos que não seja relacionado ao coronavírus. Senão seria uma covardia contra o povo brasileiro – disse.

Guedes também afirmou que o desvio da finalidade dos recursos seria uma “traição” contra o povo.

– Se aproveitar do momento em que a população brasileira está sendo abatida por um vírus, se aproveitar disso para fazer política, em vez de cuidar da saúde, seria uma traição ao povo brasileiro, inaceitável – classificou.

O ministro defendeu ainda que o dinheiro que será transferido para a saúde seja fiscalizado para não ser “desviado para outros usos”.

– Nós queremos ser monitorados, nós queremos ser fiscalizados, nós queremos ter certeza de que nós fizemos a nossa parte. Mandamos os recursos. Se esse dinheiro entrar nos estados e não tiver a fiscalização dos TCEs [tribunais de contas estaduais] para saber se esse dinheiro está indo para o lugar certo, não tiver uma boa execução por prefeitos e governadores, nós gostaríamos que os senhores nos ajudassem a monitorar esses recursos – afirmou.
*Folhapress

Coronavírus: segundo Mandetta, sistema de saúde já está em colapso

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) usou o Twitter nesta quinta-feira (30) para alertar que o sistema de saúde brasileiro já vive um colapso por causa da pandemia do novo coronavírus.

“Sempre foi uma previsão que torci para não se cumprir, que trabalhei para evitar, mas que infelizmente estamos vivendo”, disse Mandetta no Twitter. Ele compartilhou uma reportagem da revista Veja com o título "Colapso previsto por Mandetta começa a se tornar realidade".
Ele foi demitido no dia 16 deste mês após inúmeras discordâncias com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A principal delas, as medidas de distanciamento social. O ex-ministro pregava seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), enquanto Bolsonaro defende maior flexibilização do isolamento e minimiza os impactos das mortes, afirmando que 70% da população será infectada. O presidente tem como principal preocupação a retomada das atividades econômicas.
Vale relembrar que Mandetta realmente fez previsões enquanto esteve à frente da pasta. Em declaração feita em 20 de março, o ex-ministro disse que o “apagão sanitário” ocorreria no fim deste mês. "Claramente, em final de abril nosso sistema de saúde entra em colapso", afirmou após reunião com o presidente Bolsonaro e um grupo de empresários. "O que é um colapso? Você pode ter o dinheiro, o plano de saúde, mas simplesmente não há sistema para você entrar", explicou em seguida.
De acordo com o último balanço do Ministério da Saúde, divulgado nessa quarta-feira (29), já são 5.466 mortes e 78.162 casos confirmados de coronavírus. Foram registrados 449 óbitos nas últimas 24 horas.
Nesta semana, o Brasil passou a China no número de mortes pela COVID-19. O país asiático, que começa a voltar à normalidade após quatro meses sofrendo com o surto da doença, foi o primeiro a registrar casos do novo coronavírus.
EM

Coronavírus: Guedes diz que país pode imprimir dinheiro contra desemprego

O ministro da Economia, Paulo Guedes, falou nesta quinta-feira (30/04) em imprimir dinheiro como uma das formas de enfrentamento à crise imposta pelo coronavírus. A opinião chama a atenção porque Guedes é um expoente da escola liberal de economia, que tem como um de seus dogmas a redução do Estado e dos gastos públicos. Para o ministro, porém, “bons” e “bem informados” economistas não podem ter dogmas e precisam estar atentos a “todas as possibilidades”.

“O Banco Central pode, sim, emitir moeda e, pode sim, comprar título e aí você pode monetizar a economia, sem que haja impacto inflacionário”, disse Guedes em audiência na Comissão Mista de Acompanhamento das Medidas Relacionadas ao Coronavírus no Congresso Nacional.
A impressão de dinheiro, porém, ainda é uma possibilidade distante na cabeça do ministro. Segundo ele, poderá ocorrer se houver a combinação de desemprego em massa, inflação zerada ou quase e colapso dos juros que impeça a venda de títulos a longo prazo. Nesse caso, segundo Guedes, “existe a armadilha da liquidez”.
Sem esquecer das reformas
Apesar da fala sobre emitir moeda, Guedes também focou nas reformas que o governo vinha promovendo e na necessidade de não perder a austeridade de vista. “Nós sabemos que o mundo espera que as reformas prossigam e que a gente tenha austeridade do ponto de vista de entender que em uma crise não pode faltar dinheiro para a saúde. Mas isso não pode virar uma farra eleitoral”, avaliou.
Lula e Guedes
Quem tem pedido que o governo imprima dinheiro para lidar com o coronavírus é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista na última quarta-feira (29/04) a uma rádio, ele voltou a bater na tecla.

“Sou favorável que o Brasil possa rodar dinheiro, aumentar a massa monetária do país para que as pessoas tenham como sobreviver”, defendeu.
 Metropole

Marcha pela Vida esse ano será virtual por causa da pandemia; saiba como participar

A 13ª Marcha Nacional pela Vida acontecerá no dia 2 de Junho e esse ano de um jeito diferente. Em virtude do contexto gerado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o Movimento Brasil sem Aborto vai realizar a marcha de 2020 na modalidade virtual.

O objetivo é manter a mobilização contra o aborto de forma a se adequar aos cuidados de distanciamento social e não realização de eventos com aglomeração de pessoas. Dessa forma, o movimento contribui para a proteção da vida de todos os participantes e de não proliferação do contágio do vírus.

A participação será feita através do envio de fotos até o dia 4 de maio pelo link disponível no site brasilsemaborto.org. Os participantes também assinarão um termo de autorização de uso de imagem e voz. Marcha Virtual pela Vida acontecerá pelas redes sociais.

A Marcha se insere no contexto de uma mobilização pela defesa da vida aconteceu recentemente em todo o país quando o Supremo Tribunal Federal (STF) pautou o julgamento em plenário virtual da Ação Direta de Inconstitucionalidade – ADI 5581 para descriminalizar o aborto para grávidas com zika vírus. O período da manifestação dos votos termina nesta quinta-feira, 30, mas a maioria ministros acompanhou o voto da relatora pelo arquivamento da ADI.

Entidades pró-vida percebem com preocupação o ativismo judicial do STF. Segundo o consultor jurídico da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dr. Hugo Sarubbi Cysneiros, não há silêncio do Congresso Nacional sobre o tema aborto, pois já existe uma legislação específica para a interrupção da gravidez.  

“Não há motivo para o STF querer assumir a função do Legislativo, pois não há omissão nenhuma do Congresso”.
Veja o vídeo convite da Marcha Virtual pela Vida:
 Acesse o link para a inscrição: brasilsemaborto.org
JM

Raí pede renúncia de Bolsonaro e diz que São Paulo é contra retorno do futebol

O diretor-executivo de futebol do São Paulo, Raí, deixou de lado o seu discurso geralmente sem polêmicas e fez duras críticas ao Presidente da República Jair Bolsonaro. De acordo com o dirigente tricolor, o ideal seria que o político renunciasse ao cargo para evitar um processo de impeachment em razão de suas decisões.

“Se perder a governabilidade, eu torço e espero uma renúncia para evitar o processo de impeachment, que sempre é traumático. Porque o foco tem que ser a pandemia. (O impeachment) não é uma coisa que tem de se pensar agora, energia nenhuma pode ser gasta nisso, mas se estiver prejudicando ainda mais essa crise gigantesca de saúde, sanitária, tem que ser considerado”, disse o dirigente, em entrevista ao Globoesporte.com 

Raí criticou a postura do presidente em relação a forma com que está combatendo a pandemia do coronavírus. “Um posicionamento atabalhoado, é o mínimo que se pode dizer. Naquele momento, por exemplo, que ele deu aquele depoimento em rede nacional… Ele está no limite, muitas vezes, da irresponsabilidade, quando ele vai contra todas as recomendações da Organização Mundial da Saúde”, opinou.

O dirigente também deixou claro que sua irritação com Bolsonaro não se resume apenas pela forma com que ele está tratando a covid-19, mas também como administra o País. “Outro absurdo do Bolsonaro é inventar crises políticas ou de interesses próprios, familiares, no meio de uma pandemia. É inaceitável. Tenho certeza que muita gente concorda, inclusive alguns apoiadores do Bolsonaro. Ele foi eleito democraticamente, mas a própria democracia está conseguindo frear”, continuou.

O diretor afirmou que o São Paulo é contra o retorno precoce do futebol brasileiro, apesar da situação financeira delicada que o clube, assim como a maioria dos outros times pelo Brasil, vive. “É bom deixar claro e reforçar que a posição do São Paulo não é voltar rápido. É voltar ao seu tempo, com as orientações, e gradativamente, começando obviamente o treino sem uma data certa de quando o campeonato vai retornar.”

Mantendo um discurso direto e até fugindo de seu estilo de entrevistas, Raí reclamou até mesmo do presidencialismo. “Eu acho que isso me fez até questionar o presidencialismo. Estar sujeito a uma pessoa como essa, a um presidente como esse, que foi eleito democraticamente, mas que toma decisões que confundem completamente a população. Por causa dele, e aí o cálculo pode até ser feito, milhares de mortes a mais vão acontecer”, completou. Istoé

Bolsonaro diz que aguarda recurso para não ter que divulgar resultado de exame do coronavírus


BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 30, que a lei lhe garante o direito de não apresentar o resultado dos exames de covid-19 que realizou para saber se estava com a doença. Em declaração em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente disse, no entanto, que se a decisão judicial que garante a divulgação for mantida, não terá alternativa.  
 
Na segunda-feira, O Estado de S. Paulo garantiu na Justiça Federal o direito de obter “os laudos de todos os exames” de novo coronavírus feitos pelo presidente da República. Bolsonaro se recusa a divulgar os papéis. 
 
"A AGU (Advocacia-Geral da União) deve ter recorrido. E se nós perdermos o recurso daí vai ser apresentado. E vou me sentir violentado. A lei vale para o presidente e mais humilde cidadão brasileiro", disse o presidente antes de embarcar para Porto Alegre, onde participará de solenidade do Exército.  

A juíza Ana Lúcia Petri Betto deu prazo de 48 horas para a União apresentar os resultados dos exames. O prazo termina nesta quinta-feira.

Antes mesmo de ser oficialmente notificada, a AGU enviou à Justiça Federal de São Paulo uma manifestação em que se opõe à divulgação do resultado do exame de Bolsonaro. Em seis páginas, a Advocacia-Geral da União diz que o pedido deve ser negado, sob a alegação de que a “intimidade e a privacidade são direitos individuais”.

"Você sabe que tem uma lei que garante a intimidade, né? Se nós dois estivermos com uma doença grave não somos obrigados a divulgar o laudo. Essa é uma lei e lei vale para todo mundo", afirmou o presidente.

Juristas, no entanto, discordam do entendimento de Bolsonaro. O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto considerou “juridicamente correta” a decisão da Justiça. Na avaliação do ex-magistrado, o Brasil tem o direito de saber da saúde do presidente.

“O País tem o direito de saber da saúde do seu presidente, até porque se trata de doença transmissível e, ao que se sabe, o presidente não se submeteu a nenhum isolamento físico”, afirmou Ayres Britto.

“No momento em que vivemos planetariamente, a matéria não se inscreve no âmbito da intimidade, nem mesmo da vida privada do presidente. O próprio presidente antecipou o interesse coletivo no resultado do exame a que se submeteu ao tornar pública a realização desse mesmo exame”, completou.

Bolsonaro fez o exame para o vírus duas vezes, em 12 e 17 de março, após voltar de missão oficial nos Estados Unidos, onde se encontrou com o presidente Donald Trump. Nas duas ocasiões, o chefe do Executivo informou, via redes sociais, que testou negativo para a doença, mas não exibiu cópia dos resultados. Pelo menos 23 pessoas que acompanharam o presidente na visita aos Estados Unidos, incluindo auxiliares próximos, foram diagnosticadas posteriormente com a doença.  

Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, é “injustificável” Bolsonaro ainda não ter divulgado os exames. “Em especial em uma situação de epidemia, torna-se relevante que o presidente seja transparente e divulgue o resultado oficial do seu exame, a exemplo do que fizeram vários líderes de países democráticos.”
 Estadão

Recomendação é não divulgar áudio de reunião com Moro, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (30) que recebeu uma recomendação para não divulgar o áudio da última reunião interministerial na qual o ex-ministro Sérgio Moro participou. “Último conselho que tive é não divulgar para não criar turbulência. Uma reunião reservada, então é essa a ideia. Talvez saia, mas por enquanto não”, disse o mandatário nesta quinta-feira, 30, ao deixar o Palácio da Alvorada.

Em declarações recentes, o presidente prometeu que divulgaria a gravação da última reunião ministerial da qual Moro participou, no dia 14 passado, para provar solicitações que fez ao ex-chefe da Justiça, em especial para que Moro se posicionasse sobre prisões, consideradas por Bolsonaro como “ilegais”, de cidadãos que quebraram as orientações de isolamento para evitar a disseminação do novo coronavírus.

“Não tem nada de mais, é a maneira como me conduzi, como me referi ao ministro da Justiça tratando da questão de mulheres e senhores sendo algemados sem uma participação dele”. Antes de recuar da divulgação, Bolsonaro havia dito que pediu autorização dos outros ministros para tornar a gravação pública.

O presidente também se defendeu mais uma vez das acusações sobre tentativas de interferência na Polícia Federal feitas por Sérgio Moro na sexta-feira (24), quando o ex-ministro pediu demissão. Exame

STF nega pedido de Eduardo Bolsonaro para suspender CPMI das fake news

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu rejeitar ação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para suspender a prorrogação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News. O Palácio do Planalto acompanha com apreensão os trabalhos do grupo, que mira a militância digital bolsonarista.

A CPMI foi instalada em 4 de setembro do ano passado com o objetivo de apurar, no período de 180 dias ,”ataques cibernéticos que atentassem contra a democracia e o debate público”. Em 2 de abril, no entanto, a Mesa Diretora apresentou as assinaturas suficientes para a sua prorrogação. 

O requerimento foi lido e enviado para publicação, sendo que a comissão agora pode funcionar até 24 de outubro.

A ação do filho do presidente é assinada pela advogada da família Bolsonaro, Karina Kufa, que também é uma das coordenadoras do Aliança Pelo Brasil, partido lançado pelo presidente da República que até agora não recolheu o número mínimo de assinaturas para sair do papel. Nela, Eduardo Bolsonaro argumenta que, no decorrer das sessões, os objetivos da CPMI foram “desvirtuados”.

“Ao contrário do alegado pelo impetrante (Eduardo Bolsonaro), a investigação da utilização de perfis falsos para influenciar os resultados das eleições 2018 constitui um dos objetos principais da referida CPMI, e não mera questão acessória, de modo que não se verifica violação a direito líquido e certo do impetrante”, observou Gilmar Mendes.

O próprio ministro observou que os trabalhos da comissão estão diretamente ligados a dois inquéritos instaurados pelo Supremo – o das fake news (que apura ameaças, ofensas e notícias falsas disseminadas contra integrantes da Corte e seus familiares) e o dos protestos antidemocráticos do domingo retrasado, convocados com mensagens contra o Congresso e o próprio STF.

No segundo caso, o inquérito investiga a autoria e o financiamento dos atos contra a democracia, que contaram em Brasília com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

“Essas investigações são de vital importância para o desvendamento da atuação de verdadeiras quadrilhas organizadas que, por meio de mecanismos ocultos de financiamento, impulsionam estratégias de desinformação, atuam como milícias digitais, que manipulam o debate público e violam a ordem democrática”, pontuou Gilmar Mendes.

Para Mendes, a espiralização do discurso do ódio em tempos de pandemia “impõe a priorização da apuração de atos odiosos de ciberbullying, recorrentemente praticados contra autoridades públicas e agentes privados”.

Acusação
O filho do presidente da República acusa o presidente da CPMI, senador Ângelo Coronel (PSD-BA), de aprovar requerimentos “em bloco e a toque de caixa, deixando de garantir os direitos regimentais e negando aos deputados da base aliada ao governo de situação seu direito ao contraditório”.

O deputado aponta situações, que segundo ele, exemplificam essas aprovações. Uma delas teria acontecido na 4ª reunião, ocorrida em 25 de setembro de 2019, em que teriam sido aprovados 85 requerimentos de uma só vez. O deputado alega que a CPMI estaria sendo usada de forma “orquestrada”.
 Exame

Pedidos de desemprego nos EUA chegam a 30 mi e confirmam caos econômico

Milhões de norte-americanos pediram auxílio-desemprego na semana passada, sugerindo que as demissões estavam se espalhando para indústrias que não foram inicialmente impactadas diretamente pelo fechamento de negócios e interrupções relacionadas ao novo coronavírus.

O relatório semanal de reivindicações de auxílio-desemprego do Departamento do Trabalho nesta quinta-feira seguiu-se à notícia de quarta-feira de que a economia no primeiro trimestre sofreu a maior contração desde a Grande Recessão. Isso encerrou a mais longa expansão da história dos Estados Unidos, à medida que a economia se recupera de bloqueios em todo o país para retardar a disseminação do Covid-19, a doença respiratória causada pelo vírus.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego totalizaram 3,839 milhões em dado ajustado sazonalmente para a semana encerrada em 25 de abril, informou o governo. Foi uma queda ante os 4,442 milhões na semana anterior, mas os números ainda são altos, em níveis que eram inimagináveis há apenas alguns meses.

Economistas consultados pela Reuters esperavam 3,50 milhões de reivindicações na última semana. Os pedidos de auxílio-desemprego atingiram um recorde de 6,867 milhões na semana encerrada em 28 de março.

“A demissão provavelmente permanecerá alta por um tempo, à medida que a demanda mais fraca se espalhar para os setores que não foram afetados diretamente pelas paralisações”, disse Andrew Hollenhorst, economista do Citigroup em Nova York.

Os registros da semana passada elevaram o número de pessoas que buscavam auxílio-desemprego para cerca de 30 milhões desde 21 de março, aproximadamente 18,4% da população em idade ativa.
Os crescentes índices de desemprego implicam um salto na taxa de desemprego para acima de 15% em abril.

Economistas, no entanto, afirmam que isso é improvável devido à natureza da perda de empregos durante os bloqueios. O governo permitiu que pessoas temporariamente desempregadas, por razões relacionadas ao Covid-19, pedissem auxílio-emprego.

Isso inclui aqueles em quarentena com a expectativa de retornar ao trabalho, bem como as pessoas que deixam o emprego devido ao risco de exposição ou infecção ou para cuidar de um membro da família.

Gastos do consumidor

Os gastos dos consumidores dos EUA tiveram a maior queda já registrada em março, diante das ordens para que as pessoas permanecessem em casa.

O Departamento do Comércio informou nesta quinta-feira que os gastos do consumidor, que responder por mais de dois terços da atividade econômica, despencaram 7,5% no mês passado após subirem 0,2% em fevereiro. Economistas estimavam queda em março de 5,0% de acordo com pesquisa da Reuters.

A queda foi mais de três vezes maior do que o recorde anterior de 2,1% em janeiro de 1987. O Departamento do Comércio começou a compilar os dados em 1959.

O PIB americano também já sente os efeitos da crise. No primeiro trimestre, a economia americana encolheu 4,8% e  registrou maior queda desde a Grande Recessão. Exame

Covid-19: Bahia prepara retorno às aulas com medidas de isolamento social

O governo do estado da Bahia prepara o retorno das aulas da rede estadual durante a pandemia do novo coronavírus. O governador Rui Costa confirmou, em entrevista ao Isso é Bahia desta quinta-feira (30/04), que a gestão estuda um conjunto rigoroso de protocolos para evitar a contaminação dos estudantes e funcionários no retorno às aulas.

Entre as medidas previstas estão a disponibilização de uma pia na entrada de todos os colégios para a higienização das mãos e rodízio de alunos no refeitório com horários diferentes de alimentação para estudantes.
Leia a reportagem completa no site Bahia Notícias.

Auxílio não sacado em 90 dias voltará para o governo

A regulamentação do auxílio emergencial de R$ 600 e da compensação paga a trabalhadores com contratos reduzidos prevê uma possibilidade de os recursos retornarem aos cofres do governo. Isso ocorrerá se as novas contas digitais usadas para repassar os benefícios não forem movimentadas por um período de 90 dias.

De acordo com o Ministério da Economia, mesmo que o dinheiro volte para a União, o beneficiário continuará a ter direito ao recebimento.

Após a pandemia do novo coronavírus, o governo implementou o auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais. O pagamento é feito por meio de uma conta digital da Caixa se a pessoa não tiver conta bancária ou optar pelo recebimento nessa modalidade.

Para os empregados com carteira assinada, o governo liberou a suspensão temporária de contratos e a redução de jornadas e salários. Como contrapartida, o trabalhador ganha um valor proporcional ao seguro-desemprego.

Nesse programa, a pessoa receberá por meio da conta digital se o governo não obter informação ou não localizar outra conta do beneficiário.

– Os recursos das contas digitais não movimentadas no prazo de noventa dias retornarão para a União – diz o dispositivo presente nas duas regulamentações editadas neste mês.

Pessoas que receberem os benefícios diretamente em suas contas bancárias não estão sujeitas a essa regra.

De acordo com o Ministério da Economia, o objetivo é não deixar que recursos fiquem parados no banco. A pasta afirma que regra semelhante já existe em benefícios previdenciários.

Embora essa previsão não esteja descrita em um instrumento oficial, o ministério afirma que não é necessário regulamentar esse ponto específico porque o direito de receber os recursos está previsto em lei.

*Folhapress

Novo ministro da Justiça defenderá ‘valores cristãos e da família’, acredita Bancada Evangélica

O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, tomou posse no cargo na tarde desta quarta-feira (29), em cerimônia no Palácio do Planalto, e prometeu uma gestão técnica à frente da pasta. 

“Esse compromisso, dentro dessa expectativa de valores, vem reforçado pela ética, pela integridade, por efetivamente ministrar a justiça e ser agente de segurança da nação brasileira. Na prática, com uma atuação técnica, imparcial e sempre disposta a prestar contas. Não só ao chefe da nação, mas ao país como um todo”, afirmou Mendonça em seu discurso de posse. 

Agora ex-advogado-geral da União, Mendonça assumiu o lugar de Sergio Moro, que pediu demissão na semana passada.

Cristão
Para a Frente Parlamentar Evangélica, a chegada de André Mendonça ao ministério da Justiça também garantirá que os valores cristãos e da família serão defendidos, pois ele é teólogo e pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. JM

Estamos muitos felizes em saber que a justiça e segurança pública deste país continuam nas mãos firmes de um homem que acredita primeiro e Deus e que se preparou e tem segurança daquilo que vai fazer com justiça“, disse o O presidente da Frente Parlamentar Evangélica, deputado Silas Câmara, que participou da posse do novo ministro.

Confira a nota:

A FRENTE PARLAMENTAR EVANGÉLICA NO CONGRESSO NACIONAL vem, por meio desta, felicitar efusivamente a decisão do Senhor Presidente da República de nomear, para o elevado encargo de ministro da Justiça e da Segurança Pública do Brasil, o Dr. ANDRÉ LUIZ DE ALMEIDA MENDONÇA.

Advogado da União; especialista, mestre e doutor em Direito; professor universitário. Esses são alguns dos notórios predicados desse abnegado servidor público que se mostrou exemplarmente competente ao comandar a Advocacia – Geral da União nos últimos 16 meses.

Para além disso, Dr. André Mendonça é teólogo e pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, o que nos garante que os valores cristãos e da família – tão bem insculpidos pelo Constituinte Originário na Carta Magna brasileira – serão defendidos e respeitados.
Brasília, Capital da República, em 28 de abril de 2020.

Auxílio de R$ 600: mais de 13 milhões terão que refazer o cadastro

Um universo de 13,6 milhões de informais terá que refazer o cadastro no aplicativo e site da Caixa Econômica Federal para receber o auxílio emergencial de R$ 600. Ao analisar 40 milhões de cadastros realizados no sistema do banco, a Dataprev não conseguiu  identificar se esses trabalhadores têm direito ao benefício. Outros 20,27 milhões foram considerados elegíveis e 6,97 milhões, inelegíveis.

Ao todo, foram finalizados no sistema 49, 2 milhões de cadastros até a tarde desta quarta-feira. Desse total, 46 milhões já foram repassados à Dataprev para cruzamento de dados e autorização do pagamento.

Quando o resultado é inconclusivo, o interessado pode fazer uma nova solicitação para corrigir dados informados anteriormente.  Entre os motivos para esse tipo de resultado  estão:  marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro; falta de inserção da informação de sexo;  inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;  divergência de cadastramento entre membros da mesma família;  inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

Se o resultado for “benefício não aprovado”, o interessado poderá contestar o motivo da não aprovação ou realizar nova solicitação. Para receber o auxílio emergencial, ele não pode receber outro benefício do governo e precisa se enquadrar nos critérios previstos nas lei: renda mensal de até meio salário mínimo (R$ 522,50)  ou renda familiar total de até três mínimos (R$ 3.135,00).

A Caixa Econômica Federal informou ainda que já pagou o auxílio emergencial de R$ 600 para 46,2 milhões de pessoas, o que representa um volume total de R$ 32,8 bilhões. Desse universo, 17,3 milhões são beneficiários do Bolsa Família, 10,5 milhões são trabalhadores inscritos no cadastro do governo e 18,4 milhões, informais que fizeram o cadastro no  aplicativo e site da Caixa para receber o benefício.

O cronograma de saque do auxílio, em dinheiro, para os informais que tiveram o auxílio creditado em conta poupança ainda está sendo executado pela Caixa: começou na segunda-feira para nascidos em janeiro e fevereiro e continua até o dia 05 de maio. O banco abriu em nome desses trabalhadores 14 milhões de contas digitais.

Segundo o calendário, nascidos em maio e junho podem efetuar o saque nas agências da Caixa e rede de lotéricos, nesta quarta-feira.

O pagamento do auxílio para beneficiários do Bolsa Família também está em andamento. Nesta quarta-feira, um grupo de 1,9 milhão de pessoas, com NIS final 9, receberam o crédito.

Por decisão do governo, a Caixa está concentrando esforços para acelerar o atendimento, já que as pessoas enfrentam problemas para acessar o sistema e filas nas agências  para receber a primeira parcela do auxílio. O calendário de pagamento da segunda parcela só será anunciado depois que esses problemas forem solucionados.
 JM

#Fakenews | Brasil sem Miséria e governo dão cesta básica para quem compartilhar link no whatsapp

A informação que circula na internet de forma massiva que promete cesta básica com o slogan "Brasil Sem Miséria" é mais uma tentativa de golpe que usa como isca uma falsa oferta. Mesmo que você siga todos os passos, nada acontecem no final. 

O site que hospeda a tal "oferta" é classificado como "de phising" pelo serviço Kaspersky (de acordo com o levantamento feito pelo site Vírus total).

Informações: boatos.org

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Prefeitura Municipal abre vagas para contratação de profissionais de informática. Veja!

Com objetivo de atender necessidade emergencial de desenvolvimento, implementação, manutenção e operação de sistemas relacionados ao monitoramento e combate à pandemia da Covid-19, a Prefeitura Municipal realiza chamamento público para contratação de técnicos de informática de nível médio.

Podem participar do processo seletivo profissionais que tenham nível médio completo ou curso técnico de informática integrado ao ensino médio e experiência comprovada nos frameworks “PHP – Laravel” e “Javascript – Vue.JS”, além de conhecimento avançado em bancos de dados relacionais, com ênfase em PostgreSQL”. A seleção constará de análise de currículo e entrevista.

Interessados podem se inscrever nesta quarta-feira (29) e quinta-feira (30), clicando aqui. No momento da inscrição, os candidatos devem enviar eletronicamente os documentos comprobatórios.

Os contratos para as quatro vagas disponíveis terão duração de três meses, podendo ser prorrogados por igual período, ou até o prazo máximo de um ano, no caso de permanência do Estado de Calamidade Pública por conta da pandemia do Covid-19 e necessidade da Administração Pública.

As convocações serão divulgadas no Diário Oficial Eletrônico do Município e no site oficial da Prefeitura de Vitória da Conquista. Informações completas no Edital de Chamamento Público de Caráter Emergencial nº 01/2020.


terça-feira, 28 de abril de 2020

Coronavírus: Teich reconhece 'agravamento' da situação no Brasil

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Nelson Teich, reconheceu nesta terça-feira que há um "agravamento" da situação do novo coronavírus no Brasil. Dados do Ministério da Saúde indicam um crescimento no número de mortes nos últimos dias, com um recorde de óbitos notificados hoje: 474.

 - É um número que vem crescendo, alguns dias atrás eu coloquei que isso poderia ser um acúmulo de acaso de dias anteriores que foi resgatado, mas como a gente tem a manutenção de números elevados e crescentes, a gente tem que abordar isso como uma curva que vem crescendo, um agravamento da situação - disse, em coletiva no Palácio do Planalto nesta noite.

Na quinta-feira passada, quando o ministério registrou 407 mortes, o recorde até aquele momento, Teich afirmou que a pasta não sabia ainda se o resultado representava um esforço de fechar diagnósticos ou uma linha de tendência de aumento.

O oncologista ressaltou, no entanto, que a situação da doença é diferente entre cidades brasileiras. Citando Manaus, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo, o oncologista afirmou que o ministério está acompanhando a situação dessas capitais para ver "como será a evolução".

De acordo com o balanço do ministério, Amazonas, Pernambuco, Rio e São Paulo, junto com Ceará, tem a maior quantidade de casos diagnosticado da doença, além dos óbitos provocados por ela, até o momento.

- Isso continua restrito aos lugares que a gente sabe que estão vivendo as maiores dificuldades, como Manaus, Recife, Rio e São Paulo. E a gente está tratando dessa forma. Entendendo que o Brasil tem que ser tratado de forma diferente para diferentes regiões, mas a gente vê nesses lugares como um quadro de piora e vamos acompanhar para ver como será a evolução - afirmou.

- A gente vê como uma tendência naqueles lugares onde a gente vê uma pior condição em relação à doença. Repetindo, a gente vê isso como uma evolução, como uma curva pra cima, uma piora em relação aos dias anteriores - complementou.

Senai disponibiliza curso técnico em Mecânica gratuito e a distância

Quem está buscando por cursos gratuitos e a distância para se profissionalizar enquanto cumpre a quarentena – adotada como medida de segurança contra o coronovírus – pode contar com mais uma opção, dessa vez oferecida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A instituição lançou uma plataforma de ensino adaptativo digital para educação profissional e nela está oferecendo um curso técnico em Mecânica.

A plataforma é direcionada para as pessoas que estão cursando ou já tenham concluído o Ensino Médio, alunos que precisam de reforço na área de mecânica ou, ainda, profissionais que não têm condições de frequentar uma aula presencial.

Através do curso de Mecânica, o estudante poderá aprender sobre as teorias de conhecimento ligadas à área, noções introdutórias de manutenção de equipamentos e máquinas, além de criar projetos mecânicos. A capacitação está dividida em: Fundamentos da Comunicação e Informática, Fundamentos da Tecnologia Mecânica e Processos Básicos de Fabricação Mecânica. Ao realizar o primeiro acesso, o estudante tem até três meses corridos para concluir os estudos.

Os conteúdos já estão disponíveis e as inscrições, cuja vagas são limitadas, podem ser feitas através do site. A plataforma também pode ser acessada pelo celular. Até 2021, os cursos de Automação Industrial, Internet das Coisas e Cyber Sistemas também serão disponibilizados.
Fonte: Agência Educa Mais Brasil


31 casos confirmados de Covid-19; 24 curados e 3 óbitos em Vitória da Conquista

Foi confirmado mais um caso do Novo Coronavírus em Vitória Conquista na tarde desta terça-feira (28), totalizando 31 casos confirmados até o momento – de acordo com o segundo Boletim epidemiológico que acaba de ser divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, com dados atualizados no município até às 17h de hoje.

Dos 31 casos confirmados, 24 evoluíram para a cura e 3 para óbito. A primeira vítima fatal foi um homem de 69 anos que faleceu no dia 13 de abril. A segunda morte foi de um senhor, de 76 anos, ocorrida na última quinta-feira, 23 de abril. No último domingo, 26 de abril, a terceira paciente veio à óbito: uma mulher de 62 anos. As três pessoas possuíam comorbidades (quando duas ou mais doenças estão relacionadas).

4 pacientes que testaram positivo para Covid-19 ainda estão em recuperação e aguardam alta: 1 deles encontra-se internado e 3 estão em isolamento domiciliar.

Ainda de acordo com o boletim, até o momento, foram notificados 594 casos com suspeita clínica e epidemiológica de infecção pela Covid-19 no município. Destes, 463 casos foram descartados e 95 estão sob investigação: 58 aguardam resultado laboratorial e 37 aguardam coleta de amostras para serem enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública, em Salvador, que realiza o exame e divulga o resultado.

Do total de pacientes que aguardam resultado ou coleta, 5 estão internados e 90 cumprem isolamento domiciliar.
Os casos confirmados de Covid-19 no município são residentes de 11 bairros: Centro, Campinhos, Brasil, Patagônia, Recreio, Alto Maron, Urbis VI, Boa Vista, Candeias, Primavera e Lagoa das Flores.

Ainda de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, desde o dia 20 de março, a transmissão do novo coronavírus passou a ser considerada comunitária em todo o território nacional, e, por esse motivo, definições operacionais foram discutidas com o objetivo de orientar o serviço de Vigilância na identificação e notificação dos casos de Covid-19. Essas definições são orientadas por meio do Guia de Vigilância Epidemiológica Emergência de Saúde Pública de importância Nacional pela doença da Covid-19 e na  Nota Técnica COE Saúde Nº 54 de 8 de abril de 2020, da Secretaria de Saúde do Estado.

A Secretaria Municipal de Saúde reforça a importância de que, neste momento, a população siga as orientações de distanciamento físico e isolamento social, mantendo os cuidados de higiene, evitando aglomerações e, caso apresente sintomas da doença, entre em contato imediatamente com uma Unidade de Saúde ou com o Call Center.

Call Center – A Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza um Call Center para tirar dúvidas da população sobre a Covid-19 e atender pessoas que apresentem febre de início súbito, acompanhada de tosse ou dor de garganta ou dificuldade respiratória, na ausência de outro diagnóstico específico. Além disso, crianças com menos de 2 anos de idade, considera-se também como casos de Síndrome Gripal: febre de início súbito e sintomas respiratórios (tosse, coriza e obstrução nasal), caso também não tenha outro diagnóstico específico.

Contatos:

  • Telefones fixos: (77) 3429-7451/3429-7434/3429-7436
  • Celulares: (77) 98834-9988/98834-9900/98834-9977/98834-9911

Trump sugere restringir voos do Brasil devido a 'grande surto' de coronavírus

Trump sorri ao chegar a reunião com o governador da Flórida, Ron DeSantis, no Salão Oval Foto: MANDEL NGAN / AFP 
Trump sorri ao chegar a reunião com o governador da Flórida, Ron DeSantis, no Salão Oval Foto: MANDEL NGAN / AFP

WASHINGTON — O presidente americano, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que o Brasil enfrenta um “grande surto” do novo coronavírus e sugeriu que pode proibir voos de países latino-americanos aos Estados Unidos. As declarações foram feitas durante um encontro na Casa Branca com o governador da Flórida, Ron DeSantis, que disse estar preocupado com o avanço no vírus no Brasil e em outros países da região, todos com grandes conexões com Miami e outras cidades do Estado.      
         
Até o momento, os Estados Unidos são o país mais afetado, com mais de um milhão de infectados pela doença e mais de 57,2 mil mortos. O Brasil registra 68.188 casos e mais de 4.600 vítimas fatais.    

Questionado por um jornalista sobre os voos entre esses países e a Flórida, DeSantis disse que as companhias aéreas devem testar os passageiros antes de eles embarcarem. Trump então interrompeu a resposta e questionou se o governador gostaria que ele proibisse a chegada de voos do Brasil ao Estado.

— Não necessariamente — respondeu o governador, sugerindo a adoção da tecnologia para monitorar os passageiros.

O presidente insistiu no questionamento e pediu que DeSantis avisasse ao governo federal caso esses voos se tornem um problema para a Flórida.

— Se eles estiverem trazendo [o vírus] para os Estados Unidos, com certeza — garantiu o governador.                   

Na entrevista, Trump afirmou que o governo federal está trabalhando com as companhias aéreas para que elas testem os passageiros antes do embarque. O setor é um dos mais afetados pela pandemia.

Segundo Trump, o governo está em contato com vários governadores para discutir a questão, especialmente, sobre os voos que partem da América Latina.

— Nós estamos conversando com outros estados que têm muitos voos vindo da América do Sul, da América Latina, e vamos publicar uma determinação em breve.

Ao ser questionado se iria implantar um esquema de checagem para a Covid-19 para visitantes internacionais, o presidente americano afirmou que faria isso e que está analisando cenários.

— Nós vamos fazer isso provavelmente. O Brasil tem um surto, como você sabe. Mas, nós vamos tomar a decisão muito em breve. Estamos olhando para isso muito de perto — disse aos jornalistas.

No dia 31 de março, ao ser questionado durante uma coletiva de imprensa na Casa Branca, Trump deixou a questão em aberto, dizendo que estava "acompanhando o posicionamento de muitos países que não tinham nenhum problema até pouco tempo" e que poderia determinar um "banimento" caso os números aumentassem.

A pergunta ocorreu um dia após o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ter feito um pronunciamento em que minimizava a Covid-19 e que defendia o fim do isolamento social.

Trump, que vem sendo amplamente criticado por sua postura errática nas aparições ao vivo, defendeu as manifestações que aconteceram no fim de semana contra as medidas de restrição para conter a propagação da doença.  Várias cidades registraram protestos no sábado e no domingo, em geral reunindo algumas centenas de participantes pedindo o fim da quarentena e a reabertura de lojas e do comércio.oglobo