Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

  • Futuro Sorriso!

    Simião Célio posta vídeo para música Futuro Sorriso no YouTube

  • Reportando!

    6ª edição do AGORA SOMOS UM

  • Entrevista com Wallas Silva

    "Lutador de Muay Thai""

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Igreja recusa doação de R$ 100 mil feita por um cassino após ser atingida por um tornado

Um gesto marcante chamou atenção da mídia e da própria comunidade cristã no estado do Alabama, Estados Unidos, após uma igreja batista recusar a doação de US$ 25 mil dólares feita por um cassino, depois que seu templo foi atingido e parcialmente destruído por um tornado.
A Primeira Igreja Batista em Wetumpka precisou se reunir em conselho para decidir o que fariam com o cheque enviado à instituição. O pastor da comunidade, James Troglen, explicou ao jornal The Alabama Baptist qual foi a conclusão.
Eles consideraram que por causa da natureza viciosa dos cassinos, milhares de pessoas são prejudicadas ao se tornarem dependentes dos jogos, o que afeta diretamente o relacionamento com Deus e com a igreja, já que muitos deixam de ir aos cultos por conta do vício.
Assim, concluíram que aceitar a doação de uma quantia obtida através dos cassinos seria uma contradição. “Eu deixei claro que não podemos ficar com isso”, disse o pastor James, segundo informações da agência Associated Press.
“Se isso impedir que somente uma pessoa escute de nós o evangelho, então não podemos ficar com isto”, explica, sustentando sua posição na passagem bíblica de Mateus 17, assim como no histórico de atuação da igreja contra o vício em jogos.
A igreja batista do Alabama não foi a única a receber uma doação. O Wind Creek Casinos doou um total de US$ 100.000 para outras instituções, sendo 50 mil para a Primeira Igreja Presbiteriana, que teve o templo completamente destruído com a passagem do tornado, e mais 25 mil para o departamento de polícia local.

Mara Maravilha planeja ser mãe e diz que “o evangélico julga muito”

A apresentadora e cantora gospel Mara Maravilha concedeu uma entrevista onde revelou o seu desejo de ser mãe, além de comentar sobre o seu relacionamento atual, a carreira e também acerca do mundo evangélico, o qual considera haver muito julgamento por questões religiosas.
Chegando aos 51 anos, Mara está na fila de adoção, e apesar de alguns receios, diz que fará o possível para ser uma boa mãe. “Não sei se estou preparada, mas sei que vou fazer o melhor para ser uma mãe maravilha. Sei que um dos segredos é priorizar o filho”, disse ela.
“Vontade eu sempre tive, eu amo crianças”, destacou Mara, que em seguida elogiou o desejo do seu companheiro, Gabriel Torres, que também deseja muito ser pai. A apresentadora frisou a consciência de responsabilidade como um ponto forte em Torres.
“O Gabriel nutre essa vontade. Nos meus últimos relacionamentos eu não via o que vejo nele, essa vontade de ter um filho e ter essa responsabilidade na criação de um ser humano”, disse Mara para a revista Contigo!.
Pelo fato de Torres ser bem mais novo que ela, Mara Maravilha disse que é julgada de forma discriminatória, algo que, segundo ela, não se vê quando se trata de homens mais velhos se relacionando com mulheres mais novas.
“Meu relacionamento com o Gabriel é verdadeiro. Não tenho relacionamento fake. Gabriel é uma pessoa do bem, tenho muito orgulho dele, uma pessoa honesta e talentosa. Temos a essência da humildade. Somos um casal de verdade, não um casal fake, mesmo com a diferença de idade”, disse ela.
Falando sobre a sua carreira, Mara disse que foi muito julgada por participar de programas como A Fazenda, da Rede Record, e ser apresentadora do Fofocalizando, no SBT. Os julgamentos partiram boa parte dos evangélicos, segundo ela.
“O evangélico julga muito. Essa é uma parte delicada da minha carreira. Alguns evangélicos não entendem porque eu me submeti a ir para A Fazenda ou para o Fofocalizando”, disse ela, que logo rebateu: “Só quem pode me julgar é Deus”.
“Patrulha de julgamento muito grande. Mas com o meu amadurecimento de 51 anos, eu não me importo mais com o que falam, mas sim com o que fazem”, conclui a apresentadora.

Cantora sertaneja Simone visita a igreja de Cassiane: “Eu ouvia os louvores dela”

A cantora Simone, da dupla sertaneja Simaria e Simone, pode dizer agora que realizou um dos sonhos da sua vida, como ela mesma assim classificou, depois que conheceu Cassiane, uma das cantoras evangélicas mais conhecidas do país, especialmente pelos membros da Igreja Assembleia de Deus.
O encontro foi especial, porque segundo Simone, os louvores gravados por Cassiane ao longo da sua longa carreira lhe ajudaram muito durante os momentos difíceis da vida.
“No passado, passando por lutas, eu ouvia os louvores dela e eles me faziam sentir a presença de Deus e crer que tudo ia dar certo no final!”, disse Simone em uma postagem no Instagram, onde aparece ao lado de Cassiane.
Simone e seu marido, o empresário e piloto Kaká Diniz, visitaram no último domingo (17) a igreja Assembleia de Deus Alphaville (ADAlpha), onde Cassiane congrega junto com seu marido e pastor da comunidade, Jairo Manhães.
“Obrigada, minha ‘anja’, por ser instrumento do Deus vivo nessa terra. Te amo em Cristo e muito obrigada por me permitir viver esse sonho que hoje o Senhor tornou realidade”, escreveu Simone ao se referir ao encontro com Cassiane.
Cassiane, que é uma das vozes mais tradicionais do meio gospel, também destacou o encontro com a sertaneja como um momento espec
ial, desejando o retorno do casal mais vezes.
“Nosso domingo foi realmente especial. Aprendemos que a presença do Senhor nos leva a lugares mais altos. No mundo, Deus age através de nós. Com muita alegria recebemos os amigos Simone e seu esposo Kaká Diniz. Sejam sempre bem-vindos à casa de Deus!”, escreveu Cassiane em sua conta no Instagram. gospel+

Pastor Renato Vargens diz que igrejas não devem criar “blocos de carnaval” para evangelizar

O pastor e escritor Renato Vargens, autor de 24 livros e conferencista internacional, explicou em um artigo a razão pela qual não aprova a criação de “blocos de carnaval evangélicos”, feitos por algumas igrejas sob à alegação de que são usados para evangelizar durante o carnaval.
Vargens lista 7 razões, ressaltando antes de tudo que não é contrário ao evangelismo, mas sim que há circunstâncias apropriadas para isso, sendo o relacionamento diário com pessoas a principal maneira.
“O que me preocupa efetivamente não é o desejo de evangelizar, nem tampouco a vontade de pregar as Boas Novas da Salvação Eterna aos que se perdem e sim a forma escolhida para o desenvolvimento dessa missão”, escreveu o pastor.
“Acredito que a evangelização se dá de forma contínua e de modo relacional, isto é, todos nós somos chamados a evangelizar os que se relacionam conosco através de palavras e testemunhos, durante todo o ano, e não em eventos esporádicos”, defende Vargens.
O pastor, que também estará no 21º Encontro Para a Consciência Cristã em Campina Grande, na Paraíba, entre os dias 28 de fevereiro e 5 de março, pregando sobre o tema “A prioridade do Reino”, lembrou também que “nem toda contextualização é bíblica”, referindo-se ao ambiente do carnaval.
Para Vargens, blocos evangélicos podem abrir portas para o “mundanismo”, podendo “dar ocasião à carne e ao ‘velho homem’, despertando em muitos o antigo prazer pelo pecado”.
De modo direto, Renato Vargens explica que nesses ambientes carnavalescos o foco principal, que seria a pregação do Evangelho, acaba se perdendo, de modo que os cristãos terminam atendendo os próprios interesses carnais, ao invés dos espirituais.
“Ainda que se diga que o objetivo é a evangelização, o que menos se vê é a pregação do Evangelho”, acrescenta o pastor em seu artigo para o Pleno News, concluindo com a passagem de Efésios 5.11-12, que diz:
“E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha”.

Estado não pode intervir no funcionamento das igrejas, decide Justiça

O poder público não deveria interferir em assuntos relacionados à igreja. Com esse entendimento, a 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais negou pedido de um ex-membro que queria ser reintegrado à Assembleia de Deus de Itabirinha depois de ter sido excluído por comportamento em desacordo com os princípios da instituição.
O homem foi acusado de assédio sexual. O caso gerou um procedimento interno da igreja evangélica, que resultou no desligamento do fiel. Ele ajuizou ação pedindo seu retorno à instituição, sob justificativa de que o processo administrativo foi conduzido de forma irregular.
Segundo ele, CDs juntados pela defesa foram desconsiderados, houve omissão na oitiva das vítimas, testemunhas não arroladas foram ouvidas e testemunhas de defesa não foram ouvidas. Além disso, sustenta o fiel, a comissão responsável foi omissa quanto ao direito de autodefesa do acusado e a condução da audiência de instrução e julgamento.
Ele alegou não ter sido intimado da decisão da comissão e sustentou haver vícios na convocação da assembleia geral. Além disso, citou nulidades processuais no feito administrativo. Mas os argumentos não foram acatados pela decisão de primeiro grau, na qual o juiz Wagner Mendonça Bosque, da comarca de Mantena (MG), considerou válida a ação administrativa.
No TJ-MG, o relator do caso, desembargador Arnaldo Maciel, manteve a decisão e negou provimento ao recurso. O magistrado destacou que o Estado não pode intervir no funcionamento das instituições religiosas e acrescentou que o processo administrativo não foi aberto a partir de boatos, mas sim de denúncias de várias mulheres.
O desembargador concluiu, seguido por todos os membros do colegiado, que o ex-membro não comprovou a ilegalidade do processo administrativo, tornando, assim, válida a exclusão. jmnoticia

André Valadão se defende após polêmica sobre cartão de crédito “Fé”: “não comercializo a fé”

O cantor e pastor da Igreja Batista da Lagoinha, André Valadão, acabou bastante criticado após se espalhar nas redes sociais um vídeo em que ele aparece anunciando um cartão de crédito de sua marca “Fé” durante um culto na Batista Church Orlando, no Estados Unidos. Sem anuidade e com uma taxa de juros de 3%, o cartão é fruto de uma parceria com o banco BMG.
Nas imagens que viralizaram na internet, o pastor aparece no púlpito da igreja com uma imagem do cartão de crédito ao fundo.
“Você está no cheque especial, você paga 11, 12, 14%. No cartão de crédito, você paga 30% de juros. Você então que encaixa nesse serviço, o banco ofereceu isso aqui, nunca fizeram isso antes, então é algo que eu achei muito legal, achei de Deus. Falei cara, bença, vai para cima, tira tudo quanto é taxa, deixa só a administrativa. A gente não quer nada com isso, se não abençoar as pessoas mesmo. Então, tem essa possibilidade, se serve para você, pro seu pai, pro seu tio, pro seu avô, não sei para quem que é, eles já estão com o crédito liberado para você. Não tem serasa, não tem nada, aleluia, dá um glória a Deus para isso aí, amém”, disse Valadão antes de anunciar o número 0800 para quem quisesse adquirir o cartão.
Críticas
Após a divulgação das imagens, vários evangélicos criticaram o pastor nas redes. “Expectativa: ‘Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro’. (Mt 6:24). Realidade: Valadão oferece cartão durante culto”, publicou um internauta. “André Valadão vendendo cartão dentro da igreja, tá bom esse absurdo pra voces amigos?”, criticou outro.
Apesar de ter gerado muitas críticas, alguns internautas defenderam a postura de Valadão. “Tem pessoas assustadas com o Valadão falando de cartão de crédito blá blá blá. Na minha visão, líder de adolescente e de jovens deveriam sim falar sobre finanças, isso traz consciência sobre a vida financeira. Crente também usa cartão de crédito pessoal”, disse uma jovem.
Resposta
Na noite desta segunda-feira (18), o pastor usou uma rede social para rebater as críticas. No vídeo ele explicou que a marca Fé foi criada em 2000 e está presente em vários segmentos e produtos e há poucos dias também passou a representar o segmento de crédito consignado. Segundo ele, em nenhum momento ele “linka” os produtos da marca com a fé das pessoas. “Em nenhum momento eu falo compre o produto da marca e seu casamento será restaurado, compre a marca Fé e Deus vai te perdoar dos seus pecados”, explica o pastor no vídeo.
Ainda segundo Valadão, quando ele falou na igreja sobre o novo produto, foi durante o horário de avisos do culto e quem estava lá sabe que há uma pausa onde os pastores dão avisos de cultos, de acampamentos e dos patrocinadores dessas programações. De acordo com ele, era um espaço para falar sobre o que está acontecendo fora da igreja. “Naquele momento eu falei do cartão, não foi durante uma oração ou uma pregação da palavra de Deus. Eu não misturo as coisas, a fé em Deus não pode ser comprada e quem me conhece sabe”, disse Valadão.

Caio Fábio critica o pentecostalismo: “zelo por Deus, porém não com entendimento”

Caio Fábio não deixa de causar polêmica. O ex-pastor presbiteriano, que já disse que vai deixar o Caminho da Graça, soltou nos últimos dias que o ateu Ricardo Boechat está no céu com Cristo, e agora atacou os pentecostais, colocando-os à parte do Evangelho de Cristo.
Questionado por um internauta, Caio separa o pentecostalismo do Evangelho e diz que este “apela para o todo da tua compreensão” enquanto o aquele “ensina que o entendimento, a compreensão, a racionalidade atrapalha!
Logicamente, quem conhece o pentecostalismo histórico em todo o mundo, e que no Brasil já passou dos cem anos de história, sabe que a declaração de Caio Fábio está totalmente equivocada.
Ele erra ao dissociar o pentecostalismo do Evangelho e mais ainda ao compará-lo a uma teologia que emburrece as pessoas não chamando-as para o “culto racional”, como afirma Caio.
Fábio ainda afirma que os pressupostos do pentecostalismo são opostos aos do Evangelho de Cristo e que o melhor que se pode dizer de quase todo esse movimento é que “tem zelo de Deus, porém não com entendimento.”

Deputado Sargento Isidório quer “Dia do Orgulho Hétero” por temer falta de representatividade

Uma das novas caras da Câmara dos Deputados, Pastor Sargento Isidório(Avante-BA) representa a ala conservadora nos costumes. Autodeclarado “exgay”, o baiano entende que a criminalização da homofobia traria uma “guerra santa” ao país. O assunto está em discussão no STF (Supremo Tribunal Federal).
A Corte discute desde a semana passada o assunto, mas, até agora, apenas quatro ministros votaram. Não há data para que o julgamento seja retomado.
“Eu sou ex-homossexual, então tenho convicção de que é possível viver respeitando uns aos outros. E por que que a gente vai aceitar que haja uma lei que vai estimular uma guerra? O que vai acontecer é uma guerra santa, tá entendendo?”, disse ao UOL. O deputado comparou a questão da criminalização à criminalidade de menores infratores.
“É como os menores. Por que os menores de idade cometem muito crime? Porque se acham protegidos pelo ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente], que eles se acham acima da lei”, disse.
Criação do “Dia do Orgulho Hétero”
O pastor disse que é muito necessário esse projeto porque senão “a gente não vai ser mais representado.”
“Todo mundo tem seu dia, a gente também merece ter. E a Constituição estabelece que todos são iguais, então o crime contra um não pode ser diferenciado do crime contra o outro, e o Dia do Orgulho Hétero também lembra disso”, conclui. JMnoticia

Pastor sofre ataque cardíaco fatal após culto de Santa Ceia e deixa cinco filhos

O reverendo Charles M. Franklin Jr., um amado pai de cinco filhos e pastor da Igreja Batista Ray of Hope, em Baltimore, Maryland, morreu no domingo depois de sofrer um ataque cardíaco logo após um culto de Santa Ceia. Ele tinha 47 anos.
Meu coração está pesado, mas a Terra não tem tristeza. O céu não pode curar. Fui abençoado por ter casado com um homem excepcional, do qual agora tenho filhos maravilhosos para viver e realizar seu legado. Sua partida, embora inoportuna para nós, chegou na hora certa de acordo com Deus ”, escreveu Ayanna Franklin em um post no Facebook na segunda-feira.
Ray of Hope, não fique triste, mas regozije-se em ter tido um pastor tão inspirador e vibrante que se dedicou ao seu chamado e representou cada um de nós e o legado de seu pai, Rev. CM Franklin Sr., muito bem. Nós celebramos 40 anos e nossa jornada de fé ainda não acabou. Continuaremos a ser um farol de esperança, um raio de luz para todos os que estão nas trevas e ainda não conhecem seu Salvador. Meu marido, meu pastor, nosso pastor pregou a Boa Nova de Cristo e serviu bem ao povo de Deus. Eu amo todos vocês, e lembre-se, todo mundo precisa de um raio de esperança!”, a esposa enlutada acrescentou.

Desembargador decreta fim de acampamento Lula Livre

O desembargador Fernando Paulino da Silva Wolff Filho ordenou que o acampamento em frente à sede da Polícia Federal, em Curitiba, no Paraná, onde Lula está preso, seja desfeito.
Wolff Filho ainda determinou uma multa diária de R$ 500 mil caso os militantes do PT e da CUT se neguem a abandonar o local.
No Twitter, a petista Gleisi Hoffmann disse que o partido irá recorrer no Supremo Tribunal Federal (STF). pleno.news

Senado: Corregedoria tem um suspeito de votar duas vezes

A Corregedoria do Senado Federal informou que está investigando a possível fraude na urna da eleição à presidência da Casa. Por pedido do eleito, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o órgão analisa as câmeras de segurança do plenário.
De acordo com o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), corregedor do caso, já há um suspeito identificado. Trata-se do parlamentar Mecias de Jesus (PRB-RR). A indicação vem das imagens de vídeo e também de uma foto, divulgada pela revista Crusoé.
Nela, o senador aparece inserindo um envelope todo branco, diferente do envelope do Senado Federal. A investigação deve seguir as regras contidas no Ato do Corregedor 1/2018 e tem auxílio da Polícia Federal.
No dia 2 de fevereiro, durante a eleição para presidente do Senado, os integrantes da Mesa verificaram a presença de um envelope a mais. A principal suspeita é de que um dos parlamentares inseriu dois votos para beneficiar um dos candidatos. O senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi apontado como o beneficiário. Após a votação ser cancelada, Calheiros retirou sua candidatura.

Jesus era um bruxo e a Bíblia é um “livro de magia”, defende movimento de “bruxas cristãs”

A expressão “caça às bruxas” surgiu após os julgamentos no pequeno povoado de Salém, Massachusetts (EUA), em outubro de 1692. Na ocasião, mulheres que tinham envolvimento com práticas ocultas foram julgadas e cerca de 20 delas acabaram queimadas numa fogueira em praça pública.
Em abril de 2019, na mesma Salém, será realizada a primeira “Convenção anual de bruxos cristãos”. Segundo o material de divulgação, contará com a presença de um dos líderes desse movimento, o “profeta” Calvin Witcher, o qual defende que Jesus era um feiticeiro e a Bíblia é um “livro de magia”.
A pastora Valerie Love, promotora do evento, se descreve como uma bruxa cristã e costuma ministrar aulas de ‘consciência espiritual’. Recentemente, ela iniciou a Escola de Mistérios, onde oferece ajuda para os cristãos usarem a magia, que os críticos condenam como “perigosa”. ” Ela insiste que não há nada errado com a ideia de cristãos praticando magia apesar das advertências bíblicas contra a prática.
Em entrevistas anteriores, Witcher apontou os milagres feitos por Jesus como claros exemplos de feitiçaria.
“Você está falando sobre feitiçaria em seu entendimento básico, é apenas ser capaz de mudar o natural por meios sobrenaturais. É um processo alquímico…. você transformar água em vinho. Fazer dois peixes e cinco pães alimentar uma multidão – com certeza formas de feitiçaria. Andar sobre a água desafia as leis que governam esse plano físico. Isso é tudo do reino de feitiçaria. Todo milagre de Jesus desafia a lei humana, as leis do universo e do mundo. Então… você não pode realmente falar sobre ser um seguidor de Jesus sem fazer o que ele fez que é magia”, argumentou.
Para Witcher os líderes da igreja não querem que as pessoas saibam sobre isso para manter os fiéis como “escravos”. “Na maioria das vezes, quando as pessoas são contra magia, feitiçaria, misticismo, ocultismo, a nova era… elas não sabem que a Bíblia não é contrária à magia.”
No vídeo de divulgação da Convenção de Bruxas Cristãs, que será realizada de 15 a 21 de abril, a patora Love disse no último dia do evento, o Domingo de Páscoa, as bruxas e bruxos se reunirão para o primeiro culto dentro de uma igreja na cidade.

Jennifer LeClaire, que foi uma bruxa por muitos anos, antes de conhecer Jesus e ser liberta, que acompanha o movimento cristão de bruxaria há vários anos. Ela diz que essa mistura de bruxaria e cristianismo é “perigosa”.
“Temos visto a ascensão de cristãos praticando feitiçaria. Ou talvez eles não sejam cristãos de verdade. Eu não vou julgar a salvação de alguém, mas quando as pessoas na igreja liberam maldições, oram contra você e fazem jejum para destruí-lo, o fruto do Espírito está claramente ausente “, lamentou. “Gálatas 6 relaciona tanto o fruto do Espírito quanto as obras da carne. A bruxaria está entre eles.” gospelprime

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Bolsonaro entrega proposta da Previdência no Congresso

Nesta quarta-feira (20), por volta das 9h20, o presidente Jair Bolsonaro chegou ao Congresso Nacional para entregar a proposta da reforma da Previdência. Ele foi acompanhado do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.
Os dois foram recepcionados pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, pelo secretário especial de Previdência e Trabalho, deputado federal Rogério Simonetti Marinho (PSDB-RN) e outros líderes partidários.
O presidente havia antecipado que as idades mínimas para aposentadoria foram fixadas em 65 anos para homens e 62 para mulheres. Outros detalhes devem ser anunciados nesta quarta. A equipe econômica programa uma coletiva de imprensa para anunciar a reforma.

OPOSIÇÃO E PROTESTOS
Na chegada de Bolsonaro, um grupo de sete parlamentares do PSOL fez um protesto. Eles vestiram aventais e seguraram laranjas, remetendo às denúncias que o ex-ministro Gustavo Bebianno enfrenta. Entre eles estavam Marcelo Freixo e David Miranda. pleno.news

“Deus me curou”, diz Beto Barbosa após lutar contra um câncer de próstata

O cantor Beto Barbosa, conhecido no Brasil como um ícone da lambada, gênero musical dançante que se tornou febre na década de 80, passou por uma fase difícil em sua vida, após descobrir que estava com um câncer de próstata e bexiga em agosto do ano passado. Desde então, ele passou por 12 sessões de quimioterapia, mas hoje comemora a vitória atribuindo a Deus sua cura.
Beto Barbosa publicou no último domingo (17) uma foto ainda no hospital, em recuperação, após a cirurgia para a retirada do tumor cancerígeno.
“Hoje comecei a andar sem tantos aparelhos ligados. Tomei banho sozinho e comecei a sentir o ar da independência hospitalar. Não vejo a hora de voltar para casa”, escreveu o cantor, destacando que está “100% curado”.
O cantor e compositor estima que já vai poder passar o seu aniversário em casa, no final do mês, e conseguir praticar exercícios para fortalecer seu corpo. “Acredito que até terça-feira já estarei em casa e, no dia do meu aniversário, 27/02″, disse ele.
“Quero estar caminhando na esteira e malhando com a orientação da equipe médica”, acrescenta, em seguida agradecendo a Deus pela cura, reconhecendo o papel da equipe de saúde como instrumentos nas mãos do Senhor.
“Enfim, Deus me curou e me salvou através dos médicos. Agradeço de corpo, alma e coração as orações e palavras de força que recebi e continuo recebendo de todos vocês”, conclui o cantor, segundo informações do portal G1.

Decreto que entrega chave da cidade a Deus é inconstitucional, diz Justiça

Dois anos depois do prefeito de Guanambi, no sudoeste da Bahia, Jairo Silveira Magalhães, ter publicado um decreto no qual anuncia a “entrega da chave da cidade a Deus”, o Tribunal de Justiça do estado (TJ-BA) classificou a medida como inconstitucional. A informação foi divulgada pelo Ministério Público (MP-BA).
Em decisão unânime, os desembargadores do Pleno acolheram Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) ajuizada em janeiro de 2017 pelo Ministério Público estadual, por intermédio da procuradora de Justiça Ediene Lousado e do promotor de Justiça Cristiano Chaves. A decisão foi publicada na última quinta-feira (14).
A Justiça já tinha determinado, em março de 2018, que o prefeito suspendesse o decreto, publicado no dia 2 de janeiro de 2017, mas o prefeito recorreu da decisão, alegando que o ato não possuía efeitos concretos.
O MP solicitou a suspensão do decreto municipal sob a alegação de que ele afrontava os princípios constitucionais da Carta Magna e da Constituição Estadual, que asseguram a laicidade do Estado e os direitos fundamentais à liberdade de consciência, de crença e à liberdade de culto religioso.
Ao julgar o recurso interposto pelo prefeito, o desembargador relator Ivanilton Santos da Silva afirmou que “o que salta aos olhos é que o decreto em questão se utiliza da máquina administrativa para manifestar dogmas e crenças, levando a crer que o Estado, naquela manifestação municipal, repudia outras crenças e valores religiosos, o que pode ser um comportamento atualmente temerário e inadmissível”. Ele julgou procedente a ação do MP e decidiu pela declaração da inconstitucionalidade do decreto.

O caso

O decreto do prefeito de Guanambi foi publicado no dia 2 de janeiro, primeiro dia útil de 2017. No documento, o gestor do município declarou também que a cidade pertence a Deus. Ele assumiu o cargo no dia 1° de janeiro, e esse foi o primeiro ato de Jairo à frente da prefeitura.
Jairo é empresário e foi eleito com pouco mais de 50% dos votos em primeiro turno. Ele também já foi vereador, presidente da Câmara de Vereadores e vice-prefeito de Guanambi.
No documento intitulado “Entrega da chave da cidade ao Senhor Jesus Cristo”, o prefeito ainda declara que “todos os principados, potestades, governadores deste mundo tenebroso, e as forças espirituais do mal, nesta cidade, estarão sujeitas ao senhor Jesus Cristo de Nazaré”, e “cancela todos os pactos realizados com qualquer outro deus ou entidades espirituais”. Ele conclui o decreto com afirmação de que a palavra dele é irrevogável.
Após a divulgação do decreto, o MP recomendou a revogação do ato. Com isso, Jairo Magalhães disse ter sido mal interpretado e negou que tenha discriminado alguma religião com a ação. O prefeito, que é evangélico, disse que a intenção não foi promover debates religiosos e diz respeitar o estado laico.
Por meio de nota, ele chegou a informar que a publicação “não teve a intenção de ferir a laicidade e que foi inspirada no preâmbulo do texto constitucional, que invoca o nome de Deus. Jairo Magalhães afirmou ainda que tem harmonia e respeito com todos que professam, ou não, os mais variados credos.
O prefeito também pediu desculpas pelo decreto e disse que não teve a intenção de ofender nenhum cidadão ou religião. O gestor de Guanambi conclui o esclarecimento com a afirmação de que a obrigação dele é de “governar para todos, primando pelo diálogo inter-religioso, sem distinção de qualquer natureza”. JMnoticia

Feministas ‘evangélicas’ se unem para lutar pela legalização do aborto: ‘Nosso direito’

Legalizar o aborto é compreender que a vida precisa ser preservada. A legislação que temos hoje sobre o tema potencializa a morte. Ela não impede que aconteçam abortos e ainda mata mulheres. Queremos uma fé que dialogue“, afirma Camila Mantovani, de 24 anos, uma das feministas fundadoras da Frente Evangélica pela Legalização do Aborto. O movimento, que surgiu em São Paulo, tem recebido o apoio da grande mídia que busca reforçar o tema com o apoio de uma certa classe feminista que se autointitula “evangélica”.
De acordo com as informações da ativistas, Fundada em 2017, a Frente, partiu de mulheres que lutam pela legalização do aborto e, naquele ano, se depararam com argumentações de viés religioso contrárias a ADPF 442 (ação proposta pelo PSOL que pede a descriminalização do aborto até a 12ª semana gestação no STF). “Nos chamou a atenção posicionamentos que falavam em nome de todas as religiosas. Achamos aquilo absurdo e compreendemos a importância de nos organizarmos e mostrarmos que o campo religioso e, especificamente o evangélico, é muito diverso no país”, destaca.
Segundo a fundadora da Frente, elas trabalham por meio do diálogo com as igrejas evangélicas sobre a importância de mudança na legislação como forma de garantir a vida. Camila explica que elas abordam assuntos como justiça reprodutiva, violência de gênero e direitos humanos. “Fazemos isso com base na nossa fé em Jesus Cristo. Compreendemos que ninguém avança em garantia de direitos nesse país se a disputa de consciência não for travada no campo religioso“, diz.

Ameaças

Camila relata que defender o tema da legalização do aborto é um risco para mulheres evangélicas, e que precisa ser acompanhada pela Comissão de Direitos Humanos por conta das ameaças sofridas. De acordo com a jovem, muitas militantes da causa já receberam mensagens de ódio na internet, ameaças de morte e foram seguidas até suas casas.

“Nosso debate é sobre dignidade, ninguém pode decidir por nós” — Foto: Arquivo pessoal/Camila Mantovini
Os homens que detém o poder político hoje, dentro das igrejas ou fora dela, essas mãos que seguram a bíblia e legislam no congresso em nome de Deus, representam os que historicamente roubam nossos direitos e nossa dignidade. Mas ninguém pode ter o monopólio sobre o evangelho ou sobre Deus. É por isso que insistimos em ser igreja. Porque ninguém vai falar por nós“, finaliza.
Se o senado fosse composto majoritariamente por mulheres, o aborto já tinha sido legalizado. A mulher quer e deve decidir sobre o seu corpo, mas o machismo enraizado cria limitações”, diz uma das ativistas.
Larissa Santos, de 20 anos, acredita que as pessoas não devem olhar o tema apenas pelo olhar religioso, mas também pensando no bem coletivo. Para ela, a criação da Frente Evangélica pela Legalização do Aborto é muito importante para união e defesa dos direitos femininos. “Na minha Assembleia, esse pensamento não é bem aceito porque as pessoas são muito conservadoras. A legalização para eles é como o fim do mundo“, relata outra militante.
Muitas pessoas podem achar que é uma contradição eu ser cristã e a favor da legalização do aborto, mas eu vejo por outro lado. Se na Bíblia está escrito que só Deus pode tirar e dar a vida às pessoas, lá também diz que temos livre arbítrio. Além disso, o Estado é laico, então a religião não deve interferir em decisões que são para todos“, dispara ainda a jovem abortista. JMnoticia
“Vejo uma criança como uma benção quando se tem estrutura familiar, vontade de ser mãe e estabilidade financeira” — Foto: Arquivo pessoal/Thamires Moreira

Ouça os áudios da conversa entre Jair Bolsonaro e Gustavo Bebianno

Como anteciparam Augusto Nunes e Felipe Moura Brasil, os áudios –reproduzidos abaixo – das conversas entre Jair Bolsonaro e Gustavo Bebianno, então secretário-geral da Presidência, comprovam que eles conversaram três vezes na terça-feira passada, 12 de fevereiro, ao contrário do que faz parecer o tuíte de quarta-feira, 13, do filho Carlos Bolsonaro, compartilhado pelo presidente, quando o vereador acusou Bebianno de dizer uma “mentira absoluta” ao relatar o ocorrido ao jornal O Globo.
No primeiro diálogo, trataram da reunião entre Bebianno e Paulo Tonet Camargo, vice-presidente de relações institucionais do Grupo Globo.
“Eu não quero ele aí dentro”, afirmou Bolsonaro. “Qual a mensagem que vai dar para outras emissoras? Que nós estamos nos aproximando da Globo (…) Você está trazendo o maior cara que me ferrou antes, durante e agora após a campanha para dentro de casa. Me desculpa: como presidente da República: cancela. Não quero esse cara aí dentro e ponto final”.
No segundo áudio, Bolsonaro mostrou-se incomodado com a ida de Bebianno e dos ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) à Amazônia, onde discutiriam com líderes locais a construção de uma ponte sobre o Rio Amazonas, uma hidrelétrica e a extensão da BR-163 até a fronteira com o Suriname.
“Gustavo, uma pergunta, ‘Jair Bolsonaro decidiu enviar para a Amazônia?’”, irrita-se o presidente. “Não tô entendendo. Quem tá patrocinando essa ida para a Amazônia?”
 No último diálogo do dia, Bolsonaro determina: “Ô Bebiano, essa missão não vai ser realizada. Eu não quero que vocês viajem, por quê? Vocês criam a expectativa de uma obra, aí vai ficar o povo todo me cobrando. Isso pode ser feito quando nós acharmos que vai ter recurso, que vai ser aprovado etc. Então essa viagem não se realizará, tá ok?”
Na tentativa de corroborar sua acusação de “mentira absoluta” de Bebianno sobre a conversa com seu pai, Carlos Bolsonaro também divulgou na quarta-feira o trecho de um áudio em que o presidente diz a Bebianno que “está complicado conversar ainda”.
Ainda na quarta-feira, Bebianno enviou a Bolsonaro uma mensagem em que se queixava do comportamento de Carlos.
“Capitão, está difícil para mim”, escreveu Bebianno. “Não vou ser taxado de mentiroso por ninguém. Não sou mentiroso, não sou desonesto. Isso não está certo! O Carlos não pode mais seguir ofendendo as pessoas, agredindo, xingando, transformando seu aliados e amigos em opositores. Isso precisa parar. Isso vai comprometer o seu governo.”
Confrontado, o pai insistiu em defender o filho.
“Você não falou comigo nenhuma vez no dia de ontem”, respondeu Bolsonaro em outra mensagem de áudio. “Ele esteve comigo 24 horas por dia, então ele não está mentindo nada nem tá perseguindo ninguém”.
Bebianno ainda tentou argumentar. “Capitão, há várias formas de se falar”, rebateu. “Nós trocamos mensagens ontem três vezes ao longo do dia, capitão. Falamos da questão do institucional do Globo, falamos da questão da viagem. Falamos por escrito, capitão. E qual a relevância disso? As coisas precisam ser analisadas de outra forma, tira isso do lado pessoal. Ele não pode atacar um ministro dessa forma. Nem a mim nem a ninguém. Isso está errado.”
Bolsonaro tomou novamente o partido do filho.
“Gustavo, usar que usou do WhatsApp para falar três vezes comigo, aí é demais da tua parte. Aí é demais e eu não vou mais responder a você”, disse.
“Outra coisa: eu sei que você manda lá no Antagonista. A nota foi pregada lá. Dias antes, você pregou uma nota, que tentou falar comigo e não conseguiu no domingo. E eu sabia qual era a intenção. Era exatamente dizer que conversou comigo e tá tudo muito bem. Então, faz favor, ou você restabelece a verdade ou não tem conversa a partir daqui pra frente.”
As notas do site O Antagonista, porém, apenas repercutiam e destacavam a notícia do Globo, sobre ambos terem se falado três vezes na terça, e uma notícia da Folha, sobre a tentativa de ligação no domingo anterior.
Bebianno tentou explicar, mas Bolsonaro, inflamado pelo filho, não estava disposto a ouvi-lo. JP News

Judeus ultraortodoxos levam capoeira para Jerusalém

A capoeira recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Só que a novidade agora é que está fazendo o maior sucesso na Terra Santa.


Dois irmãos israelenses foram para o Brasil, conheceram a capoeira e ficaram encantados. Eles aprenderam com mestres brasileiros, e decidiram que ela tinha tudo a ver com os judeus ultraortodoxos, os que passam o dia rezando e estudando a bíblia judaica.

Eles precisaram pedir o ok para o rabino para ter certeza de que a capoeira não ia contra a religião. E tudo certo, não vai. A moda está pegando.

Será que eles erraram de cenário? A capoeira saiu do Brasil e veio parar na Cidade Santa? No gramado, as acrobacias saem perfeitas, mas as pedras milenares de Jerusalém não ajudam e Miki desiste: “Não foi boa ideia esse lugar”, ele diz.
Quando saltam pelas ruas os judeus ultraortodoxos Miki e Yehuda Hayat mudam de nome.

Bom Dia Brasil: Como é que é o apelido do Miki?

Isaac Benasulim, professor de capoeira: Ele é Gafanhoto e o Yehuda é Grilo. Porque o gafanhoto pula para caramba. Aí veio o irmão dele. Então é grilo, o grilo pula mais ainda que ele.

É sexta-feira, e a Cidade Velha de Jerusalém está cheia e o pessoal de uma produtora veio gravar o videoclipe da dupla. Homens de chapéu preto pelas ruazinhas, normalmente, vão a caminho do Muro das Lamentações. Mas os irmãos que pulam não vieram rezar. Eles querem convencer os homens e principalmente os jovens que leem a Torá, a bíblia judaica, em frente ao muro de que jogar não impede ninguém de rezar.

Vocês têm ideia de como é estranho capoeira na Terra Santa? Uma cidade sagrada para judeus, muçulmanos e católicos. E de repente essa dança, essa arte marcial que nasceu na África e passou pelo Brasil chega a um lugar onde todo mundo esperaria nada mais do que religião. E o mais interessante é que esses dois são superreligiosos.
“Não é comum ver os ortodoxos fazendo esse tipo de coisa”, diz a engenheira Nicole.

“É estranho sim, porque as pessoas não costumam ver caras como eu fazendo capoeira. E o meu projeto é justamente trazer a capoeira para cá”, diz Miki, o Gafanhoto.

“Eu não esperava ver uma coisa dessa aqui. Quando eu vi ele com o berimbau eu falei: 'Nossa!' Eu esperava qualquer outra coisa. Aí eu vi eles fazendo, a gente parou e até filmou”, diz um turista brasileiro.

É a 80 quilômetros de Jerusalém, nos arredores de Tel Aviv, em uma cidade onde a maioria dos moradores segue estritamente a religião judaica, em Bnei Brak, que Grilo e Gafanhoto estão fazendo o maior barulho.

Para abrir a primeira academia em um bairro ortodoxo de Israel, Miki teve que pedir permissão aos rabinos. E, incrivelmente,  já apareceram mais de 200 alunos.

"A capoeira era vista assim como uma coisa. Que que é isso: é uma dança, é uma seita, é religioso?  A gente até brincava que é uma seita que se rola... se rola de rir!", conta o jovem.

Mas agora Grilo e Gafanhoto são pura seriedade. Estão no camarim de uma das maiores casas de show de Jerusalém. Com um colega, eles se preparam para a primeira apresentação pública de uma espécie de coreografia de capoeira. Está todo mundo nervoso. É a primeira vez nos palcos, e tem 7 mil pessoas na plateia.

Em uma dança que é afro-brasileira, coreografada à moda israelense, e ao som de música eletrônica religiosa, com um belo empurrão do ídolo pop Yaakov Shwekey, Grilo e Gafanhoto dão os primeiros saltos para popularizar a capoeira entre aqueles que só pensavam em rezar. G1

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Diário Oficial é publicado sem exoneração de Bebianno

O Diário Oficial da União desta segunda-feira (18) não traz a exoneração do ministro de Secretaria de Governo, Gustavo Bebianno. Sua demissão havia sido anunciada na sexta-feira. Com isso, o governista segue oficialmente como ministro de Jair Bolsonaro.
Segundo informações do governo, a demissão do ministro já foi assinada pelo presidente, mas deve ser publicada no Diário Oficial da União (DOU). É possível a emissão de uma edição extra ainda nesta segunda.
Antes da demissão, Bolsonaro se reuniu com o Bebianno e, de acordo com o jornal O Globo, chegou a oferecer uma diretoria em Itaipu. Ele recusou. pleno.news

Caio Fábio afirma que Boechat está no céu com Cristo: ‘Eu estou indo encontrá-lo’

Caio Fábio afirmou, após uma pergunta de um internauta, que o jornalista Ricardo Boechat, morto após uma tragédia aérea, com certeza está junto de Cristo no céu, mesmo se dizendo ateu. Para Fábio, o jornalista era sim um digno do Reino dos Céus: “esse cara passou a vida fazendo a confissão do Evangelho que muitos de vocês nunca sonharam em fazer.
Boechat morreu em um trágico acidente na segunda-feira (11) enquanto ia para o trabalho, e seu helicóptero caiu e pegou fogo. No Acidente morreram o jornalista e o piloto da aeronave.
O líder do Caminho da Graça diz ao internauta que ele não tem culpa de não entender o porquê de um ateu como Boechat encontrar com Cristo após a morte, mas isso se deve ao fato de que “esse negócio de ateísmo é uma coisa ideológica, isso não tem nada a ver com Deus, é uma coisa que tem a ver com ideologia, entendeu?“, explica Caio.
Para validar sua afirmação, Caio Fábio cita o capítulo 25 do Evangelho de Mateus: “Tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim” e diz que Ricardo Boechat viveu essa verdade bíblica.
Boechat chega no céu e Jesus diz ‘vem Boechat, bendito de meu Pai! tome posse do Reino que para ti está preparado desde antes da fundação do mundo“, afirmou Caio Fabio
Ao final, dispara: “Eu estou indo encontrar meu amigo Boechat lá no céu. Se você quiser vir junto, chegue.
Caio Fabio era amigo de infância de Boechat e diz que sempre manteve contato próximo a ele.
Ateu
A esposa de Ricardo Boechat, deu uma coletiva de imprensa para falar sobre a morte do marido. Na entrevista ela afirmou que o marido era ateu na noite do mesmo dia do acidente nesta segunda (11).
”Meu marido era o ateu que mais praticava o mandamento mais importante de todos, que era o amor ao próximo. Ele sempre se preocupou com todo mundo, sempre teve coragem. E é muito difícil fazer o que ele sempre tentou fazer. Então, com erros e acertos como qualquer pessoa, tenho muito orgulho dele”, declarou. JMnoticia
Assista: