Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Vítima de abuso sexual processa pastor que prometeu ‘cura-la’ dos traumas com ‘sexo’

John Wright, é um pastor e professor universitário que está sendo processado por agressão sexual e estupro por Amy McClanahan, uma mulher de San Diego em uma ação judicial, onde ela alega que ele a obrigou a realizar atos sexuais, prometendo cura-la de seu Estresse pós-traumático.
Amy acusa John Wright que era seu pastor e professor da Universidade de Point Loma Nazarene, de manipula-la constantemente para ter relações sexuais depois de assegurar-lhe que poderia curar seu Estresse pós-traumático.
De acordo com o site 10News, McClanahan divulgou sua história para encorajar outros sobreviventes de comportamento sexual impróprio a avançar e elevar a voz contra os seus agressores.
McClanahan em 2014 conheceu Wright, quando ela era sua aluna em Point Loma. “Eu fiz uma aula com ele e ele me convidou para participar da igreja”, disse a jovem de 23 anos.
Depois que passou a frequentar a igreja de Wright, ela começou a vê-lo como seu mentor, quando relatou os detalhes do abuso sexual que sofreu em sua infância, ele assegurou que poderia “cura-la” de seu Estresse pós-traumático, que durava a muitos anos.
  
“Ele fez isso porque ele sabia que ele estava em um estado vulnerável”, disse Amy, então eles começaram a se encontrar mais frequentemente e desenvolveram uma relação sexual. A troca de textos fornecidos a 10News, onde o pastor “promete que seu trauma desapareceria, realizando atos sexuais com ela”.
“Quando ele veio fazer sexo, ele me disse que estava me curando. Estava curando o meu trauma do passado e eu acreditei tolamente nele” disse Amy McClanahan.
A jovem deu 10News uma gravação de áudio de uma pessoa que diz que Wright pediu desculpas por seu suposto comportamento inapropriado. “Eu realmente pensei que estava curando você“, disse uma voz masculina na gravação. “Sinto muito”.

A esposa de Wright identificado como “K” é contraproducente processando Amy e exigindo indenização da jovem pela imposição intencional de sofrimento emocional. Documentos do tribunal afirmam que ela violou o código penal da Califórnia por gravar o pastor sem o seu consentimento durante a gravação de uma conversação telefónica e por tirar um print de seus órgãos genitais em uma conversa via Skype.

O processo sublinha que o relacionamento sexual de Amy com o pastor foi consensual e terminou depois que Wright se recusou a sair com ela em público. Ela “pretendia se vingar de John por terminar seu relacionamento com ela“, explicou. A esposa alega que menina repetidamente lhe assediou, incluindo um incidente onde Amy interrompeu um serviço religioso em dezembro de 2017 “atacando e ameaçando verbalmente a esposa de John e a empurrando fisicamente contra outro pastor”.

O Wrights conseguiu obter um pedido de restrição temporário contra Amy, ela por sua parte está processando a Igreja do Nazareno em Mid-City por negligência e pela contratação da administração Wright.
Segundo a reportagem, John foi suspenso de suas responsabilidades acadêmicas e pastorais.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário