Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

sexta-feira, 5 de abril de 2019

PF: ministro de Bolsonaro está envolvido no desvio dos laranjas

A situação do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, ficou muito mais complicada.
Depois de 30 dias de inquérito, a Polícia Federal acredita dispor de fatos para embasar uma conclusão: o ministro participou do esquema de candidaturas de laranjas do PSL em Minas Gerais na eleição de 2018.

Principal acusação: lavagem de dinheiro.
O esquema era simples: uma candidata desviava parte de seu dinheiro de campanha para outro candidato.
Notícia da Folha:
Depoimentos prestados (entre eles o de um nome inédito até aqui), áudios obtidos pela PF e documentos colhidos levam a investigação do caso ao ministro do Turismo do governo Jair Bolsonaro.
O próximo passo é aprofundar as investigações para identificar qual foi a participação do ministro em eventuais crimes.

á são três as mulheres que garantem que o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comandava o esquema do laranjal em Minas Gerais, onde presidia o partido de Bolsonaro.
Todas as três deram depoimentos ou mandaram mensagens ao Ministério Público Eleitoral.
Nome da terceira testemunha: Adriana Borges, candidata a deputada federal.Foi derrotada.
Trecho da Notícia da Folha:
Adriana Borges cobrou ao coordenador da campanha do candidato no Vale do Aço, conhecido como Robertinho Soares, que a chamou no dia 25 de agosto para uma reunião em um hotel na região central da capital mineira.

Segundo ela, Robertinho afirmou que “não tinha recursos suficientes para atender a todos os candidatos” e “precisava de parte dos recursos provenientes do fundo partidário destinado às mulheres”.

Ele propôs, de acordo com o depoimento, o repasse de R$ 100 mil, contanto que ela usasse R$ 10 mil desse total e devolvesse o resto em nove cheques em branco “para que ele efetuasse os pagamentos das despesas de outros candidatos”.
Nesta quinta, a Folha tinha feito mais uma revelação.

 

Zuleide Oliveira contou que o ministro a convidou pessoalmente a ser laranja, desviando-lhe parte do dinheiro. Seu depoimento foi enviado ao Tribunal Regional de Minas.
No final, ela pede sigilo com medo de represália. catracalivre





Trecho da reportagem
Uma integrante do PSL em Minas Gerais afirma que o atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a chamou pessoalmente para ser uma candidata laranja na eleição de 2018, com o compromisso de que ela devolvesse ao partido parte do dinheiro público do fundo eleitoral.
Zuleide Oliveira, 41, inscrita na disputa a deputada estadual, fez uma denúncia ao Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais em 19 de setembro, mas obteve apenas uma resposta protocolar da Justiça Eleitoral.
A candidata é a primeira a implicar diretamente o hoje ministro no esquema de desvio de dinheiro público por meio de candidaturas de laranjas do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário