Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Escola sem partido? "Se você fez escola cívico-militar, você é de direita", garante ministro da Educação

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou nesta segunda-feira (17), durante evento em São Paulo para entrega de ônibus escolares, que todos aqueles que estudaram em escolas cívico-militares são "de direita".

De acordo com Weintraub, em escolas com esse modelo não existem casos de "agressão", de ameaças de pais de alunos a professores e defende que o rendimento escolar "é mais alto". Até o momento, a pasta não apresentou nenhum estudo que comprove que estas instituições possuem um desempenho superior às outras. 

A maior parte dos colégios militares tem uma prova eliminatória para conseguir a vaga, o que já determina um recorte de alunos, que, possivelmente, tem mais hábito de estudar e um histórico de desempenho melhor do que a maioria. Sem citar dados, Weintraub assinalou que "80% das famílias" em São Paulo são "de direita", mas ainda "não sabem disso".


"Se você fez escola cívico-militar, você é de direita. Mais de 80% das famílias de São Paulo são de direita e não sabem disso e o governo Bolsonaro veio para despertar isso", alegou Weintraub. As informações são do Estadão.

O Ministério da Educação anunciou o programa Escolas Cívico-Militares, que são instituições com gestão compartilhada entre militares e civis, e que possui um custo muito menor aos cofres públicos do que as mantidas exclusivamente pelo Exército brasileiro.

Em setembro, o governo Bolsonaro anunciou o programa em 54 escolas para este ano de 2020, do ensino fundamental e médio. Os 23 estados e o Distrito Federal estão inclusos no projeto, que tem como meta atingir 216 unidades nos próximos três anos.

A expectativa é que os militares da reserva atuem como tutores e não dentro das salas de aula, como professores, por exemplo. O MEC espera que estes profissionais ajudem na disciplina dos colégios e também na gestão educacional. A orientação da pasta é que somente após o início das aulas, os militares sejam inseridos na rotina do colégio e dos alunos. Bnews
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário