Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

domingo, 15 de março de 2020

Pastor manteve esposa refém e exibiu agressões na internet

A Polícia Militar do Mato Grosso do Sul informou que o homem que manteve a esposa refém por mais de 12 horas na tarde de quinta-feira é pastor e se chama Jesus Gorgs. De acordo com o boletim de ocorrência, ele acusou a mulher e um outro fiel da igreja de manterem uma relação extraconjugal.

O pastor, que tem 40 anos, acabou se entregando após horas de negociação. A polícia foi avisada após o homem transmitir as agressões feitas à esposa pelas redes sociais. O vídeo foi visto por vizinhos e amigos.

A esposa do pastor tem 55 anos e foi levada para atendimento com vários hematomas pelo corpo. De acordo com o boletim, ela ficou abalada psicologicamente.

De acordo com a Polícia, Jesus Gorgs irá responder pelos crimes de cárcere privado, ameaça e ainda por produzir e transmitir imagens com cenas de nudez sem ter o consentimento da vítima.

Ao portal Uol, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Mato Grosso do Sul informou que “não tolera de maneira nenhuma as atitudes e atos criminosos do cidadão Jesus Gorgs. Como uma instituição séria e debaixo da direção de Deus e da sua Palavra, condenamos com todas as forças atitudes que atingem a integridade física e a honra de qualquer mulher, assim como foi feito neste terrível episódio”.

A congregação também manifestou “apoio incondicional à Irmã que foi feita de vítima em toda esta situação. A Igreja de igual forma está se empenhando em cuidar e amparar, dando todo o suporte necessário, da maneira em que nos é cabido como instituição religiosa”. PN

AGRESSÕES

Ao portal G1, a delegada Maíra Pacheco Machado, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), disse que Jesus Gorg achava que a esposa o estava traindo. Por causa disso, ele se trancou com a mulher no quarto, pegou o celular dela e começou a cortar os cabelos e a roupa da esposa tentando fazê-la confessar.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário