Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Sogra de Flordelis morre de infarto nove meses após assassinato do filho

Da esquerda para a direita: Michelle do Carmo, pastor Luan Santos, vereador Misael, Maria Edna do Carmo e Daniel dos Santos de Souza, filho biológico de Flordelis e Carmo
A sogra da cantora e deputada Flordelis, Maria Edna do Carmo, morreu aos 65 anos de idade em decorrência de um infarto. Ela era mãe do pastor Anderson do Carmo, morto há nove meses na casa de sua família.

Um pico elevado de glicose causou o infarto de Maria Edna, que morreu na madrugada desta quarta-feira, 08 de abril, em São Paulo. Antes de falecer, ela perdeu também sua outra filha, Michele, que faleceu em outubro do ano passado “de desgosto”, segundo o advogado da família.

Maria Edna sofreu intensamente nos últimos nove meses com a perda de dois filhos em menos de cinco meses. Em junho de 2019, Anderson foi morto a tiros dentro de sua casa, em Niterói. Em outubro do mesmo ano foi a vez da filha, o que agravou seu estado de saúde.

“Faz nove meses e 22 dias em que a sensação de impunidade matou a mãe hoje e matou a irmã três meses após a morte do irmão, sem que as investigações fossem concluídas e as duas poderem ver a justiça ser feita, que era o que tanto buscavam. Acredito que essa paralisação das investigações referentes a Flordelis ocorra por se tratar de uma deputada federal. Por isso, são vistas com outros olhos, de outra forma”, declarou o advogado Ângelo Máximo, que defende a família de Anderson.

De acordo com informações do portal Uol, Misael dos Santos, um dos filhos de Flordelis e Anderson, também comentou a morte da avó em suas redes sociais: “Em sua vida, contrariamente à ordem natural, ela enterrou dois filhos em um curto espaço de tempo. E hoje, pouco mais de nove meses após enterrar o primeiro filho morto e ver sua diabete descontrolar em virtude da dor, ela não suportou e nos deixou durante a madrugada, após sofrer um elevado pico de glicose”.

“Enquanto aguardo o tempo passar na esperança de que a falta do Pr. Anderson seja amenizada, vejo ele morrer cada vez mais em cada uma das pessoas que o amavam e partiram após ele. A tragédia de seu assassinato acabou por nos trazer outras imensuráveis perdas”, lamentou o vereador de São Gonçalo (RJ).
G+
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário