Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

sexta-feira, 30 de março de 2018

Pastor responde a mulher que diz ter ‘visitado o inferno (vídeo)

Na última segunda-feira (26), o programa Superpop (RedeTV!) recebeu líderes e estudiosos de diferentes religiões para falar sobre a possível “comunicação com os mortos” e outras experiências espirituais, como por exemplo, revelações e o dom de línguas.
Entre os convidados do programa estiveram Roberto de Ogun, o padre Jader, a pastora Yonara Santo, pastor Amós e o pastor e teólogo Bruno dos Santos.
Em uma conversa com o pastor Amós, que diz ter revelações, fazendo uso do dom de línguas, a apresentadora questionou o que seria a “língua dos anjos”, que Amós afirmava falar e o pastor Bruno dos Santos esclareceu a questão.
“A Bíblia relata um acontecimento no livro de Atos, que Lucas escreveu, lá no capítulo 2, onde as pessoas receberam o dom de línguas. Na verdade, é como se você fizesse um upgrade de inglês, por exemplo, e passasse a falar inglês de uma maneira repentina. Mas na Bíblia, a realidade de línguas eram de línguas conhecidas”, explicou Bruno, afirmando que o dom descrito em Atos não se refere estritamente à língua dos anjos.
Roberto de Ogun propôs um acréscimo ao debate, lembrando que Chico Xavier tinha uma experiência espiritual ao psicografar, mas não era exatamente pelo Espírito Santo e pastor Bruno novamente tentou esclarecer o assunto de forma discreta.
“Deus não é evangélico, Deus é Deus. Eu acredito que o Chico Xavier realmente foi uma grande pessoa. Eu não acredito, particularmente na doutrina que ele pregava, mas isso não desmerece quem ele era. Eu acho que a gente precisa separar as coisas”, destacou.
“Obviamente ele estava influenciado por alguma força espiritual. Nas nossas doutrinas cristãs nós vamos acreditar que aquilo que o influenciava não era necessariamente Deus ou divino, mas era de fundo espiritual. Então eu acho que a gente precisa também ter um pouco de longanimidade para entender”, acrescentou.

“Visitando o inferno”

Diante do testemunho da pastora Yonara Santo, que disse ter visitado o inferno 15 vezes – “sempre levada por Deus, para que pudesse voltar e alertar as pessoas na terra” – pastor Bruno destacou o perigo de se transformar uma experiência pessoal em doutrina.
“A experiência é válida para você, mas ela não pode ser uma base para todas as pessoas. Por exemplo, a Bíblia relata que o inferno não existe ainda”, afirmou.
Yonara tentou replicar, citando o episódio em que Jesus conta a história do “Rico e o Lázaro”, mas o pastor voltou a explicar que esta foi uma parábola contada por Cristo.
“O Rico e o Lázaro’ é uma parábola. O fato de Jesus citar um nome dá uma importância a essa parábola, mas ela não deixa de ser uma história que irá acontecer. O inferno ainda é uma realidade que não existe no mundo espiritual”, acrescentou.
“Quando a gente passa uma experiência como uma verdade absoluta, a gente cria uma doutrina em cima disso. A experiência dela é dela. O fato é que esta experiência não pode ser transformada em uma doutrina e as pessoas passarem a acreditar em uma mentira”, finalizou.
Confira o programa completo no vídeo acima. cominformaçõesgospelgeral


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário