Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

terça-feira, 23 de abril de 2019

“Não consigo nem defender o governo na CCJ”, dispara deputado do PSL

Um dos representantes do PSL na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o coronel Marcio Tadeu (PSL-SP), já não se sente mais parte do governo. Segundo ele, por mais que tente, não encontra subsídios para ir para a linha de frente defender as propostas de Jair Bolsonaro (PSL).

“Eu não me sinto governo nem um pouquinho. Não conseguimos nem defender o governo porque não temos informações”, disparou em conversa com o Metrópoles.

Segundo ele, a administração de Bolsonaro vai assistir imóvel aos movimentos da oposição, que pretende barrar o máximo que puder a tramitação da reforma pedindo acesso aos dados sigilosos do ministério da Economia que embasam o texto, e do centrão, descontente com a articulação política.
“Eu sou da seguinte opinião: se os dados serão disponibilizados para a Comissão Especial, por que não agora?”. questionou.

Mais cedo, a integrante do PSol na CCJ, deputada Talíria Petrone, confirmou que é essa a estratégia que será adotada a partir de terça. “Eles ficam alardeando que vai ter essa economia mas não mostram os cálculos”, criticou.

Constitucionalidade
Mesmo que na CCJ a discussão envolva a constitucionalidade ou não das propostas, Marcio Tadeu defende que, ao tornar públicos os dados, o governo evita movimentações políticas deletérias.

“Seria um dado ilustrativo para bater nos caras [oposição] e dizer: vocês estão mentindo. Enquanto isso, eles levam um monte de números e não tenho orientação do governo ou do líder sobre como reagir”, afirmou.

Na terça-feira, a CCJ retoma a discussão da reforma da Previdência com a expectativa que o texto seja votado. Segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi feito um acordo com o governo para que os cálculos sejam liberados ainda nesta semana.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário