Translate

Compartilhe

https://www.facebook.com/deltan.dallagnol/videos/1384339188276453/

search este blog

domingo, 31 de maio de 2020

Corinthianos, Palmerenses e São Paulinos protestam por democracia na Paulista; PM usa bombas para dispersar (vídeo)

Torcedores do Corinthians protagonizaram uma manifestação na Avenida Paulista no início de tarde deste domingo, em São Paulo. Sem ligação oficial com qualquer torcida organizada do clube, os manifestantes marcharam com gritos de ordem pela democracia.

Jornalistas e políticos presentes no ato estimaram mais de 500 corinthianos. Eles carregaram faixas com dizeres pró-democracia (assista no vídeo acima).

Entre os cantos da marcha corinthiana, foram entoadas palavras de ordem da Gaviões da Fiel. Procurada pela reportagem do Meu Timão, a principal torcida organizada do clube negou participação oficial. Uma fonte afirmou se tratar de "manifestação legítima, porém não oficial" pois "pode haver confrontos e não temos responsabilidade pela massa".

No decorrer do ato, torcedores do Palmeiras e do São Paulo se juntaram à maioria corinthiana e aos demais grupos que protestavam pela democracia.

Também na Avenida Paulista, uma outra manifestação ocorria em defesa do presidente da República. Em determinado momento, os grupos pró-democracia e pró-Bolsonaro se aproximaram e trocaram ofensas. A Polícia Militar mantinha um cerco para afastá-los.

Imagens aéreas da CNN Brasil mostram o momento em que um homem se desloca da manifestação pró-Bolsonaro carregando bandeira preta e vermelha e se dirigindo para onde torcedores corinthianos e demais manifestantes pró-democracia estavam.


Bandeira preta e vermelha do partido ultranacionalista ucraniano Pravy Sektor vinha chamando atenção em recentes protestos de apoiadores de Bolsonaro na Paulista.

A partir de então, a Polícia Militar usou bombas para evitar conflito entre os manifestantes. Manifestantes pró-democracia estouraram fogos de artifício para o alto. Após a chegada da Tropa de Chope, a manifestação pró-democracia foi dispersa com mais bombas da polícia.

"Um grupo com bandeiras neonazistas, bandeiras contra a democracia. Foi aí que começou o conflito", disse o coronel Álvaro Batista Camilo, explicando a origem do conflito.

"Onde houver quebra da ordem, haverá intervenção policial. É isso que lamentavelmente está acontecendo de um dos lados", acrescentou, explicando a ação policial no protesto.

Meutimão

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário